Sexo na gravidez

Sexo na gravidez: usufrua desse momento

Sexo na gravidez. Muita coisa muda. Não é só a mamãe que fica confusa com tanta sensação nova. O papai também tem dificuldade para lidar com essas novas informações que acontecem nessa etapa da vida do casal.

As transformações acontecem desde o início da gravidez, tanto no corpo como na mente. Os hormônios jogados no corpo da mulher a deixam com sensações que podem diminuir a libido e a vontade de fazer sexo. É comum ela sentir náuseas, vômitos, cansaço e seios doloridos. A mais nova mamãe pode achar que fazer sexo pode prejudicar o bebê ou mesmo ocasionar um aborto.

Já o papai pode ter a sensação de ser o "protetor", olhando a sua mulher como mãe e não mais como amante, se afastando sexualmente dela para protegê-la e não prejudicar o bebê. Agora, se com o papai está tudo bem em fazer sexo com sua mulher grávida, mas ela ainda não quer, saiba que carinho, atenção, paciência e diálogo são fundamentais nesse período.

Corpo em ebulição - Já no segundo trimestre da gestação, as sensações incômodas que aconteciam no início cessam e a libido da mulher volta ao normal ou mesmo pode aumentar ainda mais, como relatam algumas mulheres. A região da vagina está sensível por causa da maior vascularização da região e é um dos motivos do apetite sexual aumentar.

Se o papai ainda tem algumas dúvidas em relação ao sexo, a mamãe pode tentar aos poucos mostrar para ele que o sexo na gravidez é bom e não prejudica o bebê.

Se o papai não tinha "neuras" e agüentou pacientemente os enjôos e vômitos da mamãe passarem, a hora é agora para aproveitar o aumento da libido da mulher e ficar "nas nuvens" com os novos peitos da sua amada que estão maiores. Só cuidado com eles, pois a sensibilidade está maior e pode doer mais facilmente.

Gangorra - A libido pode voltar a diminuir no último trimestre da gravidez; a barriga já está grande e incômoda, o cansaço volta, as dores da coluna aumentam e a mulher pode não estar satisfeita com o seu corpo e peso, achando que seu companheiro não a acha mais atraente.

A preocupação em machucar o bebê na penetração volta e o medo do orgasmo em ocasionar um parto prematuro também são motivos para evitar o sexo. Sexo não prejudica o bebê e não acarreta parto prematuro.

Muitos homens acham que sua mulher grávida é uma das coisas mais atraentes que existe. Outros têm medo de que seu pênis machuque o bebê na penetração. Outros não sabem que posição fazer sexo com aquele barrigão da sua mulher.

Sexo é muito bom durante toda a gravidez. Fortalece os músculos do períneo que ajudam na hora do parto, deixa a mamãe feliz e relaxada, e o bebê sente tudo o que a mamãe sente. Se a mamãe está feliz, o bebê está bem. A cumplicidade do casal pode aumentar.

Caso papai e mamãe não se sintam bem com a penetração, há outras maneiras de se relacionar. Sexo não é só penetração. Masturbação mútua, sexo oral ou anal, jogos eróticos, beijos, carinhos e atenção podem ser alternativas à penetração.

A posição do sexo deve ser a que tanto mulher e homem se sintam à vontade. Até a barriga aparecer não tem restrições, mas quando o barrigão está presente algumas posições são incômodas como a tradicional (mamãe e papai) já que o peso do homem em cima da mulher é ruim. Se a mamãe quiser ficar deitada assim, o papai deve elevar o tronco sem pressionar a barriga da mulher.

Outra posição seria a que os dois ficam deitados de lado, o homem penetra por trás, a conhecida posição conchinha ou colherzinha. A posição em que a mulher permanece com as mãos apoiadas, "de quatro", é outra opção. A mulher ainda pode ficar por cima do parceiro controlando a penetração e não há pressão sobre a barriga.

O sexo só é proibido ou restrito em algumas situações, como sangramentos durante a gravidez, descolamento de placenta, perda de líquido amniótico, risco de aborto, entre outros. Quem irá conferir é o ginecologista.

A mulher, juntamente com o seu companheiro, devem procurar o seu médico e tirar todas as dúvidas em relação ao sexo: se pode ou não a penetração, ter orgasmos, sexo anal e tudo mais onde existir algum questionamento e ter uma gravidez saudável sem "encucações".

Dicas

Conversa é tudo. Homem e mulher devem colocar o que sentem para que tudo caminhe com cumplicidade e entendimento com os sentimentos do outro.

Sexo é bom desde que não seja uma obrigação. Às vezes, um beijo ou um simples carinho vale mais que tudo.

A penetração não prejudica o bebê que está protegido por uma bolsa de água que amortece qualquer contato.

Leia também:
Sexualidade na Gravidez

Bruno Rodrigues

Pesquise aqui
Depoimento