Pesquisar

Prevenção à obesidade infantil começa na gestação

Diz uma crendice popular que mulher grávida deve comer por dois. Nada mais falso!

publicidade

Diz uma crendice popular que mulher grávida deve comer por dois. Nada mais falso. Segundo o RDI (Recommended Dietary Intakes), tabela com as recomendações universais sobre alimentação, gestantes a partir do terceiro mês de gravidez devem ingerir apenas 300 calorias a mais do que o normal, totalizando 2.800 calorias por dia. “Os bons hábitos alimentares da gestante, e não necessariamente o ganho de peso, é que influenciarão a saúde do bebê ao nascer”, diz Flávia Bulgarelli, nutricionista do Espaço Leve - Núcleo de Prevenção e Tratamento da Obesidade Infanto-Juvenil, de São Paulo.

É bastante comum, nos três primeiros meses de gravidez, haver uma oscilação de peso, com a perda de até 3 quilos ou o ganho de até 2 quilos, sem que isso cause problemas para mãe ou filho. A partir daí, o ganho adequado de peso vai depender do estado nutricional da gestante e servirá de indicador para avaliar o suprimento correto de energia.

De forma simplificada, considera-se que as gestantes de baixo peso ganhem em torno de 15 kg; as de peso adequado, entre 10 a 12 kg; e as com sobrepeso ou obesas, entre 6 e 7 kg. A gestação de gêmeos leva ao aumento de 15 a 20 kg.

Segundo Nataniel Viuniski, pediatra e nutrólogo do Espaço Leve, quando uma grávida aumenta muito de peso, a saúde da dupla mãe-filho entra em perigo. Cada caso deve ser individualizado. Porém, é clássico o conceito de que uma futura mãe não deve engordar muito mais que doze quilos no seu período gestacional. Na gestante, o excesso de peso aumenta os riscos de diabetes, hipertensão, pré-eclâmpsia, além de inúmeras outras complicações obstétricas.

Mulher grávida segurando uma balança - foto: Lana K/ShutterStock.com

Dicas de alimentação na gravidez:

• Beba água constantemente, de 1,5 a 2 litros por dia.

• Consuma pelo menos três frutas por dia, além de legumes e verduras no almoço e jantar. Esses alimentos são ricos em fibras, que previnem a prisão de ventre, muito comum na gestação.

• Fracione as refeições em seis a oito vezes ao dia, com pequenas quantidades, e mastigue devagar. Consuma alimentos com baixo teor de gordura e evite ingerir líquidos durante as refeições, para facilitar a digestão e evitar azia.

• A carne é muito importante nesse período, por ser rica em ferro e proteínas. O ferro pode ser melhor absorvido se consumido com frutas ricas em vitamina C, como kiwi, laranja, limão, acerola, tangerina e abacaxi.

• O uso de adoçantes e produtos diet à base de sacarina não são recomendados. Pela permeabilidade da placenta, eles podem permanecer nos tecidos do bebê.

publicidade
publicidade