Pele saudável

Saiba o que fazer para manter a pele do seu filho sempre saudável

Com a chegada do inverno, um dos órgãos que mais sofrem com a ação do frio é a pele, que fica exposta a todas as agressões do tempo. Com as crianças, todo cuidado é pouco, já que costumam sofrer mais nessa época do ano. Seguindo pequenas dicas da dermatologista Luciane Scattone, mestre pela USP, você garante um inverno tranqüilo ao seu pequeno:

  • Nos dias mais frios, evite dar banhos muito quentes. Além disso, o uso de buchas e sabonetes promove a retirada de uma camada de gordura existente na superfície da pele que evita a perda de água e conseqüente ressecamento. A pele passa então a ficar seca, áspera, descamando e tomando, às vezes, um aspecto popularmente conhecido como "escama de peixe".
  • Evite cortar as unhas dos pés dos recém-nascidos muito curtas, principalmente se eles usam macacões com pé, pois elas correm o risco de encravar.
  • Bebês muito aquecidos por excesso de roupas podem desenvolver bolinhas avermelhadas, principalmente no tronco e na região do pescoço. É a conhecida brotoeja.
  • Evite o contato direto da pele do pequeno com fibras sintéticas e lãs. Recomenda-se usar uma malha fina de algodão entre a pele e esses tecidos.
  • “Bolhinhas” com pus na pele ou feridas que não cicatrizam podem ser impetigo – uma infecção bacteriana da pele. Em alguns casos, a enfermidade pode desencadear uma doença que afeta os rins, portanto deve ser tratada logo no início.
  • Coceiras na dobra dos braços e atrás dos joelhos, acompanhadas de aspereza e vermelhidão, podem ser provocadas pela dermatite atópica – doença genética que causa lesões inflamatórias na pele.
  • Coceira na nuca pode ser sinônimo de piolhos. Procure por eles ou pelas lêndeas, pontos brancos aderidos aos fios, que são os ovos dos parasitas.
  • Coceira pelo corpo, que piora a noite, atingindo principalmente abdome, genitais, umbigo, espaços entre os dedos das mãos, axilas e punhos pode ser escabiose – a conhecida sarna, doença contagiosa transmitida pelo contato direto interpessoal ou por meio do uso de roupas contaminadas.
  • Se o seu filho costuma brincar em caixas de areia na escolinha e aparecer uma mancha avermelhada, coçando muito e fazendo um caminho sinuoso semelhante a um caminho de serpente, pode ser "bicho geográfico".

“Em todos os casos, o ideal é procurar um dermatologista para o diagnóstico correto e indicação do tratamento adequado”, alerta Scattone.

 

 

Pesquise aqui
 
 
Depoimento