Pesquisar

Parto normal é para princesas e plebeias

Enquanto na Inglaterra 80% dos partos são normais, no Brasil 80% são cesarianas

publicidade

Nasceu o filho do Príncipe William e de Kate Middleton, a Duquesa de Cambridge. O bebê real, como foi chamado pela mídia que aguardava eufórica notícias do nascimento, veio ao mundo através de um parto normal. 

Aqui no Brasil, possivelmente, o que mais chamou a atenção nisso tudo foi a via de parto: vaginal. Na Inglaterra cerca de 80% dos partos ocorrem assim. Aqui no Brasil, o atendimento obstétrico particular, aquele que da assistência às famosas, endinheiradas ou à classe média comum que tem oportunidade de ter um convênio médico, também se orgulha da marca dos 80%. Mas aqui falamos em mais de 80% de cesarianas. Um número absurdo quando o máximo recomendado pela Organização Mundial da Saúde é de 12%.

Na terra da Duquesa Kate, as gestantes de baixo risco são acompanhadas durante todo o pré-natal, parto e pós-parto por obstetrizes ou parteiras profissionais. A mulher pode escolher entre ter o parto em uma casa de parto, no hospital ou em sua própria casa. O médico obstetra só é requisitado para prestar atendimento quando há algum fator de risco. 

Em nosso país é bem diferente. Acompanhamento médico no pré-natal e parto. Sim, este é um dos motivos da nossa alta taxa de cesáreas, aliado ao fato destes médicos não terem o treinamento adequado pra assistência ao parto normal e os baixos valores pagos a eles pelos convênios.

Muitas coisas precisam mudar por aqui para revertermos o padrão de atendimento em obstetrícia do Brasil. O que me deixa feliz é que existe um lindo movimento em favor do parto natural crescendo. Uma prova disso é o lançamento nos cinemas do filme “O Renascimento do Parto”, de Érica de Paula Eduardo Chauvet, previsto para o dia 09 de Agosto, graças ao um financiamento coletivo recorde no Brasil. 

E como conseguir um parto normal respeitoso na terra das cesáreas eletivas?

O primeiro passo é buscar informação de qualidade. Grupos de apoio ao parto natural são ótimos para mostrar aos casais quais as melhores opções em sua cidade. Confira o contato de alguns grupos aqui (http://partodoprincipio.blogspot.com.br/2009/11/lista-de-gapps.html).

Você pode optar por parteiras que fazem o atendimento domiciliar, casas de parto ou obstetras que acompanham partos naturais em maternidades privadas.

Contratar uma doula também pode ser muito importante. Ela dará suporte durante a gestação, parto e pós-parto. Aqui (http://www.doulas.com.br/encontre.php) você pode pesquisar doulas por todo o Brasil.

O parto natural no Brasil não é apenas para quem tem condições de pagar uma equipe particular. Casas de parto dão atendimento gratuito e doulas voluntárias auxiliam a gestante até mesmo em hospitais do SUS, no lugar do acompanhante.

Informe-se, empodere-se, lute pelo seu parto. Parir é natural, é transformador, é emocionante, sejamos nós princesas ou plebeias.

publicidade
publicidade