Otite

Otite: livre seu filho desse mal

Mamães de primeira viagem, certamente vocês ouvirão muito esse nome: otite. Apresentaremos essa tal de “dona” otite, cujo nome representa as infecções de ouvido, comuns em crianças desde os primeiros meses de vida. Estima-se que 20% das crianças de até quatro anos tenham pelo menos uma otite por ano.

Existem dois tipos de classificações da otite, variando de acordo com o local afetado. Se a infecção acometer a orelha externa, ou seja, a entrada da orelha até a membrana timpânica (tímpano), ela será chamada de otite externa. A otite interna se verifica quando a infecção está localizada depois da membrana timpânica, onde está a tuba auditiva que liga o ouvido com a região do nariz e garganta.

As otites são as causas mais comuns de perda de audição em crianças, mas se diagnosticadas e tratadas corretamente, a audição geralmente volta aos limiares de normalidade. Sabe o que significa a leve perda de audição de uma criança? O querido da família terá sérios prejuízos na aquisição de linguagem, desenvolvimento cognitivo e aprendizado, pois tudo está ligado um ao outro.

Por trazer problemas tão sérios, os pais devem ficar atentos aos sinais da infecção de ouvido. A otite externa é uma inflamação da pele do ouvido causada por fungos ou bactérias. Aparece principalmente no verão, quando as crianças ficam muito tempo em piscinas ou mar. O excesso de umidade no local é perfeito para a proliferação de fungos e bactérias, ainda mais se a água estiver contaminada. A natação também provoca otite externa.

Cuidado com os “intrusos” no ouvido - O uso de hastes de algodão, grampos ou objetos que as crianças colocam dentro do ouvido ferindo o conduto auditivo também pode causar inflamação. Lembre-se que cera não é sujeira: é proteção para o ouvido. Só um médico pode fazer a limpeza do ouvido. A limpeza em casa deve ser feita com um pano macio enrolado no dedo e passada na parte de fora da orelha.

Normalmente, a otite externa não vem acompanhada de febre, mas dói muito só de encostar no local, e há coceira. Vermelhidão, inchaço, secreção e perda de audição também são comuns.

O tratamento da otite externa inclui analgésicos para aliviar a dor, antibióticos e antifúgicos, como medicação tópica (gotas). O calor local ajuda a suavizar a dor e, caso ocorra secreção, a região deve ser limpa com orientação médica.

Prazer, otite média - A infecção de ouvido mais comum em crianças é a otite média. Costuma ocorrer durante ou logo após gripes, resfriados, alergias e infecções na garganta ou respiratórias, pois as bactérias ou vírus ascendem pela tuba auditiva e causam acúmulo de secreção dentro da orelha média provocando inflamação que, se não for tratada, pode levar à perda total da audição.

Outra causa da otite média é a mamadeira. Isso mesmo, mamãe, a mamadeira. Geralmente as crianças mamam deitadas, principalmente antes do sono chegar. Como os pequenos apresentam a tuba auditiva mais horizontalizada que os adultos, o leite chega ao ouvido médio com mais facilidade e causa a inflamação.

Portanto, a melhor posição para mamar e prevenir a otite média é quando a cabeça da criança está mais levantada que o corpo, isto é, quando a criança está mais sentadinha. Na amamentação, a posição também deve ser a mesma.

Crianças pequenas que freqüentam escolinha ou creches estão mais sujeitas a esse tipo de doença. Os vírus são facilmente transmitidos nesses ambientes e os menores de dois anos ainda estão com o sistema imunológico imaturo, ficando vulneráveis.

Às vezes, a pressão exercida pela secreção na orelha média chega a ser tão intensa que leva ao rompimento da membrana timpânica e ocorre saída de secreção pelo conduto externo. A otite média leva a dor, febre, falta de apetite e diminuição da audição.

O tratamento faz uso de antibióticos e analgésicos. A febre costuma desaparecer em três dias, mas a audição pode levar mais tempo para voltar ao normal. Se a perda auditiva não regredir, pode ser sinal de secreção na orelha média, que será retirada cirurgicamente através da colocação de tubo de ventilação na membrana timpânica ou de lesão permanente nos ossículos, sendo a perda auditiva irreversível.

Por todos esses riscos que a otite representa ao seu filho, diante de qualquer desconfiança de alguma infecção, leve seu filho imediatamente ao médico para prevenir complicações mais sérias.

Dicas

Crianças de 0 a 12 meses amamentadas têm metade do número de otites do que as que não foram amamentadas por dois motivos: o leite materno transmite os anticorpos da mãe para o bebê e a posição da criança é mais adequada.

Não amamente o bebê e deite-o em seguida. Se regurgitar, o líquido sobe pela fossa nasal até chegar ao ouvido e pode causar uma inflamação.

É comum as mães amamentarem seus bebês deitadas na cama, evite essa posição. Prefira sempre a posição sentada ou em pé.

Vacine seu filho contra a gripe anualmente a partir dos seis meses de idade.

Bruno Rodrigues

Pesquise aqui
Depoimento