Pesquisar

Os cuidados com as grávidas no combate à febre amarela

O ideal é a gestante adiar a viagem para as regiões afetadas pela febre amarela. mas caso não seja possível ou ela more nesses locais, os riscos e benefícios da vacina devem se avaliados

publicidade
O surto de febre amarela silvestre em Minas Gerais traz uma preocupação maior para as mulheres grávidas. Apesar de ser transmitida também por picada de mosquito, diferentemente da zika, a febre amarela não tem relação clara com problemas de formação do feto. Mas a decisão de tomar a vacina deve ser avaliada no caso de mulheres que vão ou moram em regiões afetadas. A imunização é o meio mais importante de combate à doença.

“O ideal é a gestante adiar a viagem para as áreas endêmicas para que não precise ser vacinada”, afirma o médico especialista em medicina fetal Paulo Alexandre Chinen, do RDO Diagnósticos Médicos. Como a vacina é produzida com o vírus vivo atenuado, pode causar reações como febre e mal-estar. “No caso de a viagem ser imprescindível ou de mulheres que moram nesses locais, deve ser avaliado o risco da imunização em relação ao benefício”, orienta o Dr. Chinen.

os cuidados com as grávidas no combate à febre amarela - foto: Unsplash / pixabay.com

Segundo ele, a vacina não é algo que seja proscrito para as gestantes que estão em áreas de alto risco. As mulheres devem saber sobre os efeitos da imunização e fazer a escolha junto do seu obstetra. A febre amarela é grave e 20% das pessoas que a contraem têm a forma severa, com febre alta, icterícia e sangramentos, podendo levar à óbito.

Os principais cuidados com a gravidez:
  • Evitar ou adiar a viagem para as áreas de alto risco.
  • Caso a gestante precise ir ou more em uma região afetada pelo surto, é preciso avaliar com o médico os riscos da vacina para ela e para o bebê.
  • Mesmo com uma possível reação, já que a vacina é produzida com o vírus atenuado, pode ser muito pior ficar suscetível a pegar uma infecção com o vírus forte.
  • Apesar de os trabalhos mostrarem que não existem riscos maiores para a formação do bebê, para quem está tentando engravidar e vai para as regiões endêmicas, a orientação é esperar um mês após a vacinação para tentar a concepção.
  • É imprescindível usar repelentes, roupas como mangas longas e calças, para proteger os braços e pernas das picadas dos mosquitos. Além disso, é aconselhável manter as casas ou apartamentos com as portas e janelas fechadas ou com telas.
  • Para os bebês, a vacina é indicada a partir dos seis meses de idade, quando a criança reside em uma área em que há morte de macacos com suspeita de febre amarela e na área em que há casos de febre amarela silvestre. Mas fora dessas situações, o calendário de vacinações indica a partir de nove meses de idade.
publicidade
publicidade