Pesquisar

Exercícios Kegel

Um exercício que ajuda no parto normal, previne hemorroidas e a incontinência urinária antes e depois do parto, e ainda pode ajudar na sexualidade

publicidade

Esse famoso método foi desenvolvido no fim da década de 1940, pelo ginecologista Arnold Kegel. Os exercícios são desdobramentos dos estudos científicos do médico sobre o controle da incapacidade de retenção da urina no pós-parto.

Para a grávida que quer ter parto normal, o ideal é passar a fazer frequentemente os exercícios Kegel. Essa ginástica trabalha a musculatura do assoalho pélvico e ajuda a fortalecer os músculos que suportam o útero. Os músculos vaginais também são fortalecidos.

Isso facilita, e muito, o trabalho de parto. Fortalecer esses músculos durante a gravidez dá a habilidade de controlar a musculatura durante o parto. Tonificar esses músculos também pode minimizar dois problemas comuns da gravidez: incontinência urinária e hemorroidas.   

Os exercícios Kegel também são recomendados depois da gravidez para acelerar a recuperação, melhorar o controle da bexiga e fortalecer o assoalho pélvico. Eles também acabam beneficiando sua vida sexual. Estudos demonstraram que as mulheres que seguiram a série de exercícios relataram uma maior facilidade para atingir o orgasmo.

O melhor desses exercícios é que podem ser feitos em qualquer lugar, em qualquer hora. Tente fazer toda vez que estiver dirigindo e ter que parar no sinal vermelho ou enquanto está na sala de espera do médico.

Ilustração mostrando a posição dos músculos do assoalho pélvico - foto: Blamb/ShutterStock.com

Para descobrir como exercitar o músculo certo, pratique parar o jato urinário enquanto estiver no banheiro. Contraia o músculo pélvico por 10 segundos e, então, relaxe. Repita de 10 a 12 vezes.

Respire normalmente durante os exercícios e faça-os no mínimo três vezes ao dia. Tente não mover as pernas, os glúteos e os músculos abdominais durantes os exercícios.  

Muitas mulheres sentem uma melhora após fazer estes exercícios todos os dias por três a seis meses.

publicidade
publicidade