Endometriose 2

O que é a endometriose?

Esta vilã causa muita dor e pode levar a infertilidade. Apesar da sua gravidade e do número elevado de mulheres que sofrem com esta doença, há muita desinformação a respeito e um diagnóstico tardio pode prolongar o sofrimento. "A endometriose é muito freqüente, mas eu demorei a descobri-la", diz Ana Paula, que sugeriu colocar esta conversa na roda de Vida de Mãe quando estava grávida de 25 semanas. Antes da publicação dessa matéria, dia 1° de outubro, Eduardo nasceu! O relato de Ana Paula alerta sobre a doença; traça um perfil do tratamento e suas conseqüências e fala ainda do medo que ela teve de não conseguir engravidar.

Dr. Luiz Augusto Ferreira Santana, ginecologista, obstetra, mastologista e coordenador do curso Encontro de Gestantes, do Hospital Balbino e do Hospital Municipal Andaraí, no Rio de Janeiro, é o especialista que vai desvendar aqui esta inimiga, seus principais sintomas, os tratamentos e sua relação com a infertilidade.

Susto e desinformação

Ana Paula tem 31 anos e cursa o terceiro ano da faculdade de arquitetura e urbanismo. "Atualmente só faço projeto de paisagismo, pois no ano passado não consegui trabalhar, pois tive que fazer duas videolaparoscopia*. Descobri que tinha endometriose, por causa da suspeita de pedras na vesícula. Sentia muitas dores e não conseguia freqüentar direito as aulas na faculdade. Vivia no pronto-socorro do hospital. Um dia a médica disse que o melhor era internar e retirar as pedras porque as dores estavam muito freqüentes e eu teria que voltar regularmente ao hospital pra tomar medicamentos. Na mesa de cirurgia o médico viu que, na verdade, eu tinha endometriose. Mas, no entanto, não conseguiria retira-la, pois não tinha os acessórios necessários pra isso. Imaginem, ao sair da mesa de cirurgia fui informada que, no prazo de até três meses, iria voltar para ela, pois a endometriose estava num estagio avançado e já tinha foco na parte de cima do abdômen. Antes de sair do hospital tomei uma injeção que faz a gente ter menopausa precoce e parar de menstruar. Normalmente o efeito dessa injeção dura três meses no nosso organismo."

Cirurgia

"Nos exames pré-cirúrgicos, foi descoberto que a endometriose também estava no intestino. Internei-me em agosto do ano passado (2006), no dia dos pais, e operei na véspera do aniversário do meu marido. Foi uma cirurgia demorada porque tive que retirar 15 cm do intestino e um pedaço da trompa e do ovário do lado esquerdo. Mas deu tudo certo. Eu tinha que ficar cinco dias internada, mas com confiança em Deus e pensamento positivo, sai do hospital com quatro dias para a surpresa do médico. Em uma consulta pós-cirúrgica, recebi um intimado do médico: eu teria até dois anos para engravidar ou então minha chance de ser mãe diminuiria. Eu só tinha cinqüenta por cento de chance. O efeito da medicação que faz cessar a menstruação demorou pra passar. A previsão de durar até três meses se estendeu até sete meses. Só voltei a menstruar em janeiro de 2007. E, para minha alegria, fiquei grávida no mesmo mês".

Eduardo

"Eu e o meu marido, Sandro, estamos muito contentes com nosso filho Eduardo. Agradecemos o apoio da família e amigos. Se não fossem eles, acho que eu estaria em depressão (como outras mulheres que passam por esta doença) e não teria enfrentado tudo isso com a cabeça erguida. Hoje brinco que Deus colocou essas "pedras na vesícula" para me mostrar eu que tinha que ser mãe o mais rápido possível - pois nos meus planos só iria gerar depois de terminar a faculdade".

Palavra do especialista

Dr. Luiz Augusto Ferreira Santana, ginecologista, mastologista e obstetra

Quais os sintomas da Endometriose?

Normalmente causa dores de caráter progressivo no período menstrual. As mulheres devem ficar atentas a dores que aumentam de intensidade conforme o transcorrer dos ciclos menstruais.

Quais os exames necessários para diagnosticar a Endometriose?

Existem alguns marcadores sanguíneos chamados CA 125* e a ressonância nuclear magnética, que deve ser feita no período menstrual. O chamado padrão ouro para diagnosticar a endometriose é a videolaparoscopia, com biópsia das lesões.

Quais os tratamentos para a Endometriose?

São diversos, dependendo da intensidade e da localização da endometriose. O tratamento padrão é a suspensão da menstruação com medicamentos orais ou injeções que podem ser usadas mensalmente ou trimensalmente. Quando a endometriose apresenta grandes cistos, comprometendo a trompa e levando a alguns casos de infertilidade, o tratamento passa a ser também cirúrgico. A endometriose é uma patologia crônica que exige um tratamento contínuo.

Quais as principais metas do tratamento para a Endometriose?

A endometriose se apresenta no endométrio, fora da cavidade uterina. Quando a mulher menstrua, automaticamente os focos fora da cavidade do útero também sangram. A meta do tratamento é fazer com que esses focos deixem de sangrar. Durante o tratamento não é recomendável a gravidez.

Qual a relação da endometriose com a infertilidade?

Normalmente esses focos de endometrio que estão fora da cavidade uterina sangram causando aderências pélvicas. Essas aderências pélvicas vão ocasionar o enrijecimento das trompas, permitindo uma pequena mobilidade delas e impedindo que haja a capitação do óvulo e obstrução da trompa - já que a fecundação ocorre na trompa e não no útero. Quando o quadro de endometriose é leve a mulher pode até engravidar. Aliás, o melhor tratamento para endometriose é a gravidez porque neste período a mulher não menstrua. Mas a endometriose pode voltar após a gravidez.

Em que situação é possível reverter casos de infertilidade?

Na cirurgia fazemos a lise* das aderências e a desobstrução da trompa, e se for necessário, a cauterização dos focos de endometriose.

Outras informações sobre a Endometriose:

  • É considerada uma doença da mulher moderna. Antigamente, as mulheres menstruavam menos, pois engravidavam mais vezes. Isso inibia o desenvolvimento da doença. Hoje em dia a mulher tem cerca de 400 menstruações durante seu período reprodutivo. No início do século passado este número girava em torno de 40.
  • Pode acontecer com mulheres em idade reprodutiva e consiste na presença de endométrio em locais fora do útero.
  • Endométrio é a camada interna do útero que é renovada mensalmente pela menstruação.
  • Na endometriose este tecido se implanta fora do útero e viaja, através da corrente sanguínea, para outros órgãos como ovários, intestinos, bexiga, apêndice e vagina. Pode ser encontrado também em órgãos distantes, como pulmão, pleura e sistema nervoso central.
  • Causa fortes dores no período menstrual, como cólicas intensas, dores durante as relações sexuais, dificuldade de engravidar e infertilidade.
  • Aproximadamente 20% das mulheres sentem apenas dor, 60% sofrem, além da dor, com a infertilidade, e 20% têm infertilidade.
  • A principal arma diagnóstica é a suspeita clínica. Um bom exame clínico permite um raciocínio mais completo e auxilia na decisão terapêutica.
  • A doença pode ser tratada cirurgicamente ou por meio de medicações. Além disto, ações que melhorem a qualidade de vida tais como exercícios, psicoterapia, são favoráveis ao tratamento. Em alguns casos a gravidez só será possível através de técnicas de fertilização assistida e inseminação artificial.

* Videolaparoscopia = Técnica de acesso à cavidade abdominal por incisões. Normalmente são três ou quatro pequenas incisões, variando de 0,5cm a 1,0cm de diâmetro. Através delas é realizada a maioria dos procedimentos cirúrgicos ginecológicos como: retirada de aderências, cistos de ovário, miomas uterinos, histerectomia (retirada de útero), cirurgia de trompas para melhorar a fertilidade, entre outros.


* CA 125 = este marcador é útil no acompanhamento das neoplasias de ovário e endométrio.

* Lise = secção, corte.

Denise Domingos

Pesquise aqui
Depoimento