Pesquisar

Contos de fadas

publicidade

Há tantos e valiosos benefícios em se contar histórias para uma criança...

Ao contrário do que se acreditava, os contos de fadas fazem parte da realidade infantil muito mais do que a realidade do adulto pois esta, quase sempre, é-lhe incompreensível e sem sentido. Já os contos de fadas falam de suas próprias vivências emocionais e físicas. Os valores morais são construídos de uma forma natural, justa e sinaliza claramente que há vantagens em se ter um comportamento digno e honrado. O bem é sempre recompensado e o mal é combatido e castigado.

Os finais felizes dão à criança sentimento de segurança, apaziguando seus temores mais íntimos pois abrem novas possibilidades de resolução dos conflitos interiores após muitas lutas e sacrifícios, ou seja, promovem o sentimento de esperança no futuro que é a energia positiva para ultrapassar os obstáculos da vida com otimismo.

Através dos contos de fadas, a criança elabora suas emoções mais fortes e aprende a lidar com este mundo complexo, o que não conseguiria por si só, sem ajuda.

Além de estimular a imaginação infantil, enriquecer sua personalidade, promovem a interação e aproximação com o adulto, pois falam de situações múltiplas da vida, sem subterfúgios, inclusive com temas que o adulto encontra grande dificuldade em abordar como a morte e o envelhecimento.

Não existe regra para escolha da primeira história e nem idade para começar a contar. A pessoa pode optar por qualquer uma, contanto uma nova na próxima oportunidade e em outra também até que a criança lhe peça determinada história. Isto pode se repetir indefinidamente. Há algo em seu conteúdo que foi ou está sendo vivenciado por ela e que precisa ser elaborado e assimilado. Mesmo que o adulto identifique o que se passa, não deve, de modo algum, interpretar para a criança, pois como já disse, a realidade infantil não corresponde à do adulto e a história perderia toda sua graça e função.

No conto de fadas, tempo e espaço são indefinidos, assim servem para qualquer idade e época de vida. Adultos e crianças se identificam, em algum momento, com trechos ou personagens da história.

Por este motivo, muitos pais acham que os conteúdos violentos e aterrorizadores dos contos de fadas, podem prejudicar o desenvolvimento saudável de seus filhos, como se eles não tivessem sentimentos negativos, agressivos e violentos. Esta é outra função dos contos de fadas: ajudar a criança a perceber que estes sentimentos fazem parte do ser humano em geral e não só dela, o que lhe causa profundo alívio e paz.

Muitas vezes os contos modernos não oferecem finais justos e apaziguadores e, por isto, não fazem sentido para a criança, que não admite que o mal não seja castigado e evitado. Fogem de sua realidade e entendimento.

Com a maturidade, chega a compreensão mais profunda e a criança começa a perceber que é ela quem deseja ser a heroína ou a vilã; é ela quem ama ou odeia, que precisa lutar por sua independência; é ela quem tem que enfrentar os problemas de vida para evoluir e se realizar. Que um dia, por mais presentes e poderosos que sejam seus pais, não poderão resolver suas dificuldades ou mesmo tomar decisões que só cabem a ela e, assim, assumir as consequências por seus atos.

Mas esta é outra história...

publicidade
publicidade