Cardiotocografia: o exame que avalia a vitalidade fetal

Um exame não invasivo que verifica o bem estar do bebê ainda dentro da barriga da mãe.

O exame de cardiotocografia é um método de avaliação das reais condições do bebê dentro da barriga da mãe. Ele detecta a frequência cardíaca do feto e as contrações uterinas, e através de um registro gráfico o médico pode avaliar o bem estar materno-fetal.

Existem quatro classificações para esse exame. É chamado de cardiotocografia anteparto quando realizado antes do início do trabalho de parto. A cardiotocografia intraparto é realizada durante o trabalho de parto e mostra de que forma o bebê está reagindo às contrações. Se não há interferência do médico que está realizando o exame, é chamada de basal, feito com o feto em repouso. Quando o resultado desse é suspeito, o examinador pode realizar a cardiotocografia estimulada, que modifica o estado de sono do bebê. Esse método utiliza um estímulo sonoro no abdome da mãe com uma fonte com frequência de 500 a 1.000 Hz para verificar a reação do bebê. O feto também pode ser estimulado mecanicamente, através da movimentação do polo cefálico.

Atualmente, alguns médicos utilizam esse exame como rotina no pré-natal no final da gestação, como uma forma de complementar os exames de ultrassonografia. Sua grande vantagem é ser um método não evasivo e de fácil realização, pois é feito através da pele da mãe.

Eletrodos ligados a um monitor são colocados na barriga da mãe e, durante cerca de 20 a 30 minutos, o aparelho registra de modo contínuo a frequência cardíaca e movimentos do bebê, bem como a presença e duração de contrações do útero. Ao final do exame, o aparelho gera um laudo em forma de gráfico, semelhante ao de um eletrocardiograma, que deve ser interpretado pelo especialista.

Quando o exame não segue o padrão de normalidade, pode significar insuficiência na oxigenação cerebral do bebê, o que ocorre, por exemplo, por motivos placentários, posicionais, ou quando o cordão umbilical está enrolado no pescoço do feto. Dependendo do resultado do exame, eventualmente, o médico pode definir o melhor momento e método de realizar o parto.

Paula R. F. Dabus

Comentários

Lala

Ola eu estou gravida de 10 semanas e fiz uma trasvaginal e a medica yfalou que n tinha presensa de batimento sendo que eu ouvi um chiado como na primeira ves que fiz o exame com 6 semanas e o bebe estaba bem sera que ela pode ter errado o diagnostico.

Dri

por favor me ajudem e me respondam.
estou gravida de sete semanas e um dia ,fiz uma endovaginal e não ouvi o coração do nenêm...isso pode acontecer?
sera que perdi
meu filho?

BECA

Bom Dia! Gostaria de saber a respeito da buzina dada durante a realização da cardiotocografia.
Já ouvi falar que ela causa estresse ao bebê.
Esse exame ainda usado, é recomendado? Para que serve a buzina?

Maria_ap234

estou gravida de quatro mes mas nao sinto meu bebe mexer e normal

Cacau051

Referências:
1 - Pattison Neil, McCowan Lesley. Cardiotocography for antepartum fetal assessment. Cochrane Database of Systematic Reviews. In: The Cochrane Library
2 - Devane Declan, Lalor Joan G, Daly Sean, McGuire William, Smith Valerie. Cardiotocography versus intermittent auscultation of fetal heart on admission to labour ward for assessment of fetal wellbeing. Cochrane Database of Systematic

Cacau051

A cardiotocografia não deve ser realizada reotineiramente em gestações de baixo risco. A realização rotineira não traz benefícios para o bebê e além disso é um exame com muitos resultados falsos-positivos o que pode levar a intervenções desnecessárias e até mesmo prejudiciais ao bebê e a mãe, como, por exemplo, uma cesariana desnecessária e prematura.
Dra. Claudia Magalhães

Pesquise aqui
 
Depoimento