Pesquisar

Adoçante na gravidez, pode ou não pode?

Consumir adoçantes durante a gravidez não é proibido mas sua ingestão deve ser moderada ou evitada.

publicidade

Ainda há controvérsias sobre o uso de adoçantes pelas mulheres no período da gravidez. As dúvidas existem por não haver muitos estudos científicos que comprovem ou não os prejuízos ao bebê caso a mamãe consuma adoçantes enquanto grávida.

Os adoçantes são produtos naturais ou artificiais que substituem o açúcar oferecendo menos calorias com um sabor doce, por isso engordam menos que o açúcar. São compostos por substâncias edulcorantes, isto é, substâncias que são extremamente doces mesmo em pequenas porções.

Alguns estudos realizados com a sacarina e ciclamato, substâncias presentes em alguns adoçantes e alimentos dietéticos, sugerem um potencial cancerígeno, porém os experimentos levaram em consideração uma alta ingestão dessas substâncias, algo que normalmente não aconteceria no dia a dia das pessoas e mesmo assim alguns estudos isentam essas substâncias de serem cancerígenas.

Mulher adoçando bebida - foto: Andrey_Popov/ShutterStock.com

Sabe-se que essas substâncias atravessam a barreira placentária, mas como os estudos com a sacarina e ciclamato e os prejuízos ao feto humano ainda são insuficientes para qualquer conclusão, o melhor é evitá-los durante a gestação. Depois a mamãe pode voltar a consumir seus adoçantes sossegada.

Já o aspartame, outra substância bastante encontrada nos adoçantes e produtos diet atuais, contém fenilalanina, contra-indicado para pacientes portadores da fenilcetonúria (mal congênito e raro que se caracteriza pela ausência de uma enzima que faz o metabolismo da fenilalanina e que é diagnosticado no teste do pezinho).

Com moderação - Estudos dizem que para provocar danos neurológicos no feto a gestante teria de consumir altas doses do aspartame, como oito latas de refrigerante a cada oito minutos.

A Associação Americana Dietética diz que o consumo de aspartame durante a gravidez é seguro, mas as recomendações médicas ainda são de evitar essa substância durante os nove meses.

A frutose e stévia são adoçantes naturais, extraído das frutas e de uma planta respectivamente. Apesar de naturais, também não há estudos que possam comprovar que são seguros para que se consuma durante o período gestacional.

O ideal é que a futura mamãe estabeleça para sua gravidez um período de alimentação equilibrada e de exercícios para não ganhar uns quilinhos a mais. Já as mamães que estão acima do peso, a gravidez não é hora mais adequada de engatar dietas mirabolantes. Alimentação adequada combinada com exercícios são suficientes para que assegure a sua saúde e do bebê.

Diabetes - A única recomendação é para as futuras mamães que são diabéticas. Há a necessidade do corte do açúcar e por vezes de adoçantes. O objetivo neste caso é evitar um alto consumo enquanto o bebê estiver se desenvolvendo dentro da sua barriga.

Dicas

Estabeleça com o seu médico a quantidade de adoçante que seja ou não adequado para o período da gravidez.

Se puder, troque o uso de produtos diet por alimentos saudáveis como frutas, verduras e legumes.

Com uma alimentação balanceada e prática de exercícios adequados para as gestantes, nenhuma mulher gestante, a não ser as diabéticas, necessitam do uso de adoçantes, mesmo os naturais.

publicidade
publicidade