Pesquisar

Sinusite – uma nova epidemia? - parte 1

Não estaria havendo um excesso de prescrição de antibióticos e radiografias?

publicidade

Gente, cansei. Rsrs. 

Sempre que um tema se torna muito frequente, eu escrevo algum material sobre o assunto e publico no meu site. Não sei como eu demorei tanto para publicar esse. Mas pelo que eu tenho visto nos últimos anos, não dava para esperar mais. Já, já vocês vão entender. Acompanhem-me, por favor?

O consumo de antibióticos no Brasil tem sido tão excessivo (quer seja prescrito por um médico, orientado por um farmacêutico, ou, grande parte das vezes, por automedicação) que em 2011 foi publicada no diário oficial da união (DOU), uma resolução da ANVISA (RDC 20/2011), reforçada em por uma Nota Técnica em 2013 em que se estabelece, entre outras decisões:

- Que a venda de antibióticos seja realizada apenas mediante receita médica, em duas vias, com identificação do paciente, do médico prescritor e tem validade de apenas 10 dias em todo território nacional.

Criança doente deitada e tomando remédio - Foto: Maya Kruchankova/Shutterstock.com

Houve um tempo, em que as mães levavam seus filhos aos prontos-socorros e eles saiam, invariavelmente e sem indicação precisa, com uma receita de antibiótico, porque tinham (parecia uma epidemia) amigdalites. Aos poucos, e orientadas por outros profissionais pediatras em suas consultas de rotina, as mães aprenderam a olhar “dentro da garganta” de seus filhos e começaram a questionar o diagnóstico e a conduta.

Depois tivemos outras epidemias diagnósticas (broncopneumonias atípicas, “pulmões sujinhos”, faringites, otites, entre outras) que, em sua maioria, segundo os estudos realizados pelo mundo, têm etiologia viral, não necessitando da medicação antibacteriana tão frequentemente receitada.

A nova epidemia que tem indicado e aumentado novamente a prescrição de antibióticos atende pelo nome de SINUSITE. Não passo um dia sem que eu tenha respondido pelo menos um e-mail, esclarecido pelo menos uma mãe pelo facebook, atendido pelo menos um telefonema, avaliado pelo menos uma consulta em que esse diagnóstico não tenha sido o causador de uma prescrição antibiótica. E a maior parte dos estudos relata que entre as sinusites agudas (até um mês de duração), segundo estimativa até da OMS, entre as pessoas que têm gripes ou resfriados, 75% evoluem para uma sinusite VIRAL e apenas 2% evoluem para sinusite bacteriana.

Infelizmente, o conhecimento da embriologia (formação), anatomia, fisiologia (como funciona), patologia (doenças) dos seios da face não é de conhecimento de muitas mães e o que observamos é um excesso de radiografias (solicitados de forma não adequada, segundo os próprios radiologistas), diagnósticos imprecisos e tratamentos que poderiam ser evitados, se essa informação fosse cobrada de forma mais eficaz.

Assim, permitam-me tentar esclarecer, embasado em fontes seguras, idôneas e éticas, de forma resumida, apresentando a todos, os SEIOS DA FACE ou SEIOS PARANASAIS.

O que são e para que servem os seios da face?

Seios da face são cavidades cheias de ar, que aparecem nos ossos da testa e na região das bochechas conforme a criança cresce. Eles são importantes na função da fala, do tamanho do crânio, na respiração. Eles são revestidos internamente pela mesma mucosa que temos no nariz, que por sua vez tem cílios que vibram para ajudar a eliminar o muco produzido nos seios da face e ajudam a lubrificar a árvore respiratória. 

Mas, o que eu acho importante é falar um pouco sobre cada um deles. Tudo o que ESTÁ EM LETRAS MAIÚSCULAS é ênfase minha.

Clique aqui e continue lendo. Falarei sobre os seios da face e sobre sinusites.

publicidade
publicidade