Linha de cuidado oral - MAM

Prisão de ventre

Linha de cuidado oral - MAM

Prisão de ventre em crianças

É comum ouvir um adulto dizer que está com prisão de ventre. Saiba que as crianças precisam de atenção nesse sentido, pois também é super normal elas sofrerem desse problema.        

A prisão de ventre ou constipação intestinal é a dificuldade de evacuar que pode se prolongar por alguns dias. Acredita-se que uma a cada três crianças em idade escolar apresente retenção de fezes.    

Para saber se uma criança tem prisão de ventre o ideal é observar o seu hábito de evacuação. Se a criança evacuava duas vezes por dia e passou a evacuar uma vez, pode estar com constipação. Se as fezes estão ressecadas e duras também é um sinal.

Mas se a criança desde sempre evacua três vezes na semana e não todo dia, não quer dizer que esteja com prisão de ventre, apenas que seu organismo trabalha dessa maneira.

Frutas x guloseimas - Normalmente a prisão de ventre está relacionada aos hábitos alimentares das crianças. Aquela criança que come guloseimas diariamente, come poucas frutas e bebe pouca água e muito leite com achocolatado, tem maior chance de ficar constipada do que aquela que toma um bom café da manhã, com cereais, fibras e vitamina de frutas, além de fazer suas refeições com legumes e verduras e beber bastante água.

Por isso os hábitos alimentares devem ser regrados desde cedo, começando com o melhor alimento de todos: o leite materno que, além de fornecer tudo o que o bebê precisa, ajuda a flora intestinal se desenvolver. As papinhas não devem ser batidas no liquidificador e, sim, amassadas no garfo. As frutas e legumes triturados no liquidificador perdem as fibras que induzem o intestino funcionarem melhor já que retém água no intestino deixando o bolo fecal mais macio e de fácil eliminação.

Os pais também são modelos para os filhos. Se a mamãe ou o papai não come frutas ou não bebe muita água, por quê, então, seu filho vai comer ou tomar se ele não vê o seu maior modelo a ser seguido não faz?

Tem tempo pra tudo - Outro fator de prisão de ventre em crianças é que para não parar de brincar e continuar o que estava fazendo sem interrupção, a criança “segura” as fezes contraindo os músculos e esfíncter da região anal, deixando a sensação da vontade de evacuar ter ido embora. O problema é que as fezes estão lá e quanto mais tempo ficarem no intestino, mais fezes se acumulará, mais ressecada ficará e a sua eliminação será mais difícil.

Assim, quando a criança sentir vontade de evacuar novamente e for ao banheiro, terá que fazer muita força e sentirá dor, podendo eliminar fezes com sangue.  Desse modo, a hora de evacuar torna-se tensa e o “segurar” as fezes mais constante, tornando o bolo fecal ainda mais duro e seco e a evacuação ainda mais dolorida, como um ciclo vicioso.

A constipação intestinal pode ter relação com algum aspecto emocional. Quando os pais decidem retirar as fraldas da criança podem fazer de maneira muito agressiva e exigente e, às vezes, a criança não está preparada para isso, causando um temor na hora de evacuar ocasionando a prisão de ventre. Também não é recomendável realizar qualquer mudança na vida da criança quando um irmãozinho está para chegar. Melhor dar um tempo para o mais velho se acostumar com a presença de mais um e aprender a lidar com o ciúme.

Caso a prisão de ventre continue mesmo com uma alimentação saudável, procure um médico que poderá examinar com mais precisão a alteração.

Dicas

É muito importante observar o funcionamento intestinal do seu filho, já que mais da metade das crianças com constipação intestinal continuam com o problema na adolescência ou até na vida adulta.

A criança precisa andar, correr, engatinhar e pular. Além de desenvolver o sistema motor da criança, ajuda no funcionamento do intestino.

Evite achocolatados ou substâncias que “engrossam” o leite. São alimentos que aumentam a prisão de ventre.

Bruno Rodrigues

Pesquise aqui
Depoimento