Pesquisar

Plástica pós-gravidez

Para muitas mulheres a plástica é a solução para tudo em qualquer época, porém após uma gestação a plástica oferece grandes riscos à mulher

publicidade

Toda mulher sonha em manter o mesmo corpinho de antes da gravidez. A gestação é uma fase marcada por inúmeras transformações no corpo. Por isso, muitas acham que a única solução é fazer cirurgias plásticas. Mas essa tática pode não ser tão saudável.

A ditadura social impõe que a “magreza” é o padrão de beleza. Isso pode afetar a auto-estima da mamãe, que teve o seu bebê e está amamentando. A mamãe se sente gorda, inchada, com a pele flácida e os seios caídos. Não se acha atraente para o seu marido e pensa que ele não vai mais gostar dela, procurando outra mulher com o corpo em forma.

E a primeira coisa que aparece no pensamento da mamãe é voltar em forma o mais rápido possível. Aí mora o perigo. A grande maioria rejeita exercícios de resultados a longo prazo, pensando em resultados imediatos (pra “ontem”) para acabar de vez com as gordurinhas extras. A solução é a cirurgia plástica.

As cirurgias plásticas, entretanto, não devem ser feitas logo após o parto, conforme recomenda os médicos da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Benedito Vieira e George Soares. Após o parto, a mamãe está em fase de regressão do inchaço natural da gravidez e sob efeito de alterações hormonais, com o corpo voltando ao seu estado natural.

“Uma lipoaspiração só poderá ser realizada em torno de um ano após o parto e a colocação de prótese mamária só depois de oito meses e fora do período de amamentação”, frisam os médicos.

Corpinho em forma e sem bisturi – A receita pode parecer batida, mas é primordial: as mulheres devem se preocupar com uma vida saudável antes, durante e depois da gravidez, sempre tomando cuidados especiais. Não adianta querer perder em dois dias o que se ganhou em nove meses. A perda de peso e a volta do corpo ao normal é gradativa.

Com certeza voltará ao seu peso normal mais rápido aquela mamãe que cumpriu à risca os seguintes mandamentos

a-) praticou exercícios físicos

b-) tinha uma alimentação saudável e continuou com esses hábitos durante a gestação

c-) não engordou mais que o recomendado (cerca de 12 quilos)

d-) cuidou da hidratação da pele

e-) fez um bom pré-natal e que depois do parto realizou uma alimentação adequada para quem está amamentando

f-) fez exercícios recomendados por um profissional especializado para o pós-parto.

Fazer alguma cirurgia estética no mesmo instante que se faz o parto (seja ele cesárea ou normal) é extremamente contra-indicado.

“Todos os riscos estão muito aumentados nessa situação, pois os tecidos estão muito infiltrados devido à ação dos hormônios da gravidez. Os vasos sanguíneos estão mais dilatados e o risco de hemorragias aumenta. O trauma cirúrgico torna-se exacerbado, prejudicando a recuperação e a saúde. Qualquer cirurgia nas mamas em fase de amamentação fica mais susceptível a infecções, formações de cistos e processos inflamatórios graves”, afirmam os médicos.

Amamentar ajuda a recuperar o corpo - A amamentação é um dos fatores que faz com que o corpo da mulher volte ao natural mais rápido, destaca a fonoaudióloga Jamile Elias, especialista em amamentação.

Jamile conta que a mulher perde muitas calorias quando amamenta seu bebê. Além disso, o hormônio jogado no corpo durante a amamentação faz com que o útero se contraia e volte ao seu tamanho normal. Por isso muitas mulheres sentem cólicas ao amamentar.

Dicas

Se a mamãe pretender ter mais filhos é melhor adiar a cirurgia plástica, já que a cirurgia terá que ser refeita após o nascimento do outro filho.

Quanto maior a idade da mamãe e maior a quantidade de peso que se ganha durante a gravidez, mais difícil de perder os quilos extras após o nascimento do bebê.

A cirurgia plástica deve ser realizada por um especialista e deve ser uma decisão conjunta entre médico e paciente, respeitando as transformações do corpo e segurança da vida.

publicidade
publicidade