Parto de gêmeos e múltiplos

A gestação de dois ou mais bebês é considerado uma gestação de risco, pois predispõe de várias inseguranças à mamãe e aos bebês. Os riscos para a mamãe são as maiores incidências de aumento do líquido amniótico, diabetes gestacional, pressão alta e complicações no parto.

Já com os bebês existe uma maior chance de abortos espontâneos, de baixo peso ao nascer e aumento da mortalidade devido ao parto prematuro e ao atraso do crescimento intra-uterino, que normalmente ocorre nos casos de gestação de gêmeos ou múltiplos.

O parto prematuro acontece por causa do rápido crescimento uterino que leva à hiperdistensão das fibras musculares uterinas desencadeando o trabalho de parto prematuro.

Só para se ter uma noção, a probabilidade de um nascimento prematuro antes de 38 semanas completas é grande. Cerca de 70% dos nascimentos de gêmeos acontece por volta da 36ª semana. Em 55,5% das gestações de gemelares os bebês nascem antes de 36 semanas. Os trigêmeos ou mais nascem antes da hora em quase 100% dos casos.

A prematuridade extrema (nascimento antes da 31ª semana) ocorre em 20,1% das gestações triplas e em 60% das quádruplas.

No entanto, o parto de gêmeos ou mais é cada dia mais seguro. As maternidades estão se adaptando para receber essas mamães e bebês, especializando sua equipe e modernizando as Unidades de Terapias Intensivas (UTI) Neonatais.

As mamães devem prestar atenção na hora de escolher a maternidade em que realizará o parto. Esta tem que ter uma UTI Neonatal no caso em que os bebês precisem de maior atenção.

Por ser uma gravidez considerada de risco, o parto deve ser realizado em hospital na sala cirúrgica com uma equipe maior já que cada bebê precisará de um pediatra neonatologista e exige também a presença de mais de um obstetra.

Cesariana - O tipo de parto indicado para as gestações de dois ou mais bebês é a cesárea por causa dos ricos existentes. No caso de gestação de gemelares, o parto normal é possível dependendo da posição em que se encontram os bebês.

A melhor posição dos bebês seria que estivessem de cabeça para baixo, mas isso nem sempre ocorre. Normalmente, o primeiro bebê está na posição ideal e o segundo não, mas ainda é possível o parto normal já que existem manobras a serem realizadas para facilitar o nascimento do segundo bebê que nasce cerca de 8 a 10 minutos depois do primeiro.

Às vezes, as contrações do útero após a expulsão do primeiro bebê são insuficientes para expulsar o segundo. Por isso, o nascimento do segundo bebê pode ter mais complicações durante o parto e um maior risco de lesões ou morte.

O médico pode realizar o parto normal do primeiro bebê e uma cesariana para o nascimento do segundo por motivos de segurança. Quando nenhum dos bebês está com a cabeça para baixo, a cesárea é o procedimento indicado.

Em se tratando de parto de trigêmeos, quadrigêmeos ou mais – propenso a ter maiores riscos de complicações -, o mais indicado será sempre a cesariana, que oferece maior segurança aos bebês e à mamãe.

Bruno Rodrigues

Pesquise aqui
 
Depoimento