Parto de emergência

Existem dois partos chamados de emergência. A cesariana de emergência e o parto normal feito de maneira inesperada. A cesariana de emergência acontece quando há riscos para a mamãe e bebê na realização do parto normal.

Quando a equipe que está pronta para a realização do parto normal verificar que existe algum risco para a mãe ou para o bebê, a cesárea de emergência é indicada para que ambos tenham um parto mais seguro. Os principais perigos são a eclampsia, sofrimento fetal ou outra ocorrência obstétrica.

Já o parto repentino acontece quando a mamãe faz planos para ter a criança no hospital ou Casa de Parto, mas, devido a acontecimentos inesperados como condições climáticas ou trânsito, dá a luz em casa ou a caminho do local escolhido.

Um sinal de que o bebê está próximo a surgir no mundo externo, principalmente se a bolsa estourar, é quando a mamãe começar a sentir contrações regulares a cada dois minutos com duração de sessenta segundos.

As contrações causam abertura ou dilatação do colo do útero o qual, uma vez completamente dilatado, permite que o bebê deslize pelo canal da vagina. Alguém que estiver perto dessa mamãe terá que realizar o parto.

Cuidados imprescindíveis - Ao enxergar a cabeça do bebê no canal da vagina é hora de realizar o parto. Algumas medidas devem ser tomadas para o parto ser feito. As mãos e os braços de quem realizará o parto devem ser lavados com água e sabão, deve-se utilizar panos limpos, uma tesoura esterilizada e barbante limpo para amarrar o cordão umbilical.

Nunca impedir o parto segurando as pernas da mamãe ou empurrando a cabeça do bebê de volta. Isto pode trazer sofrimento para os dois. Também não se deve puxar o bebê para acelerar o parto. Deixe-o sair naturalmente.

A mamãe deve ser colocada em uma posição confortável, sem roupas que impeçam o parto e suas costas deve ser apoiada por travesseiros ou por outra pessoa. Ela deve dobrar seus joelhos e aproximá-los do peito, abrindo-os quando sentir contrações.

Sempre apoiar a cabeça do bebê que mudará a posição quando esta passar por inteira pelo canal, ficará para baixo. A cada contração, pedir para a mamãe fazer força e o bebê sairá sem que precise de ajuda. Depois da cabeça, o resto do corpo sai com maior facilidade. Cuidado, pois o bebê é escorregadio. Ampare-o com panos ou toalhas limpas.

Não puxar o cordão umbilical. Este com a placenta sairão naturalmente depois de 20 a 30 minutos com mais algumas contrações.

Outra recomendação importante é limpar a boca e o nariz do bebê e verificar se respira. Se houver dificuldade, colocá-lo de cabeça para baixo ou fazer respiração artificial com cuidado. Se tudo estiver bem, deixar o bebê com a mamãe bem agasalhado.

Cordão umbilical - Amarrar dois fios no cordão umbilical, o primeiro a 5 centímetros do umbigo do bebê e o outro a 10 centímetros. Com a tesoura esterilizada, cortar entre os fios.

A mãe e o bebê devem ser levados imediatamente após o parto para o hospital para avaliação, evitando assim qualquer tipo de complicação pós-parto. Para evitar esse tipo de situação, o planejamento de viagens não deve ser feito perto do nascimento do bebê.

Caso a viagem seja necessária, verifique hospitais perto de onde ficará hospedada e tenha telefones de emergência. Faça vários trajetos de como chegar da sua casa até o hospital que planeja dar à luz assim.

 

Bruno Rodrigues

Pesquise aqui
 
 
Depoimento