Pesquisar

Pais são exemplos na hora da alimentação

Os gostos das crianças são formados nos hábitos diários de consumo, por isso é fundamental o contato com uma alimentação saudável desde pequeno.

publicidade

Os pais são reflexos do que os filhos comem. Não adianta exigir que eles tenham uma alimentação saudável se os adultos também não cuidam da sua. Conforme pesquisa da Universidade Saint Louis, nos Estados Unidos, crianças de 1.300 famílias se alimentam muito bem, por seguirem os passos de seus pais. 

Outro estudo mostra que o gosto das crianças por doces, salgadinhos e refrigerantes é influenciado por aquilo que vêem os pais comerem. Porém, se for feito o contrário, os filhos irão agir de forma diferenciada. Se os pais preferem frutas e verduras, a escolha das crianças será mais saudável, de acordo com a revista Archives of Pediatrics & Adolescent Medicine. “Aqui no Brasil a realidade é a mesma. Nós desenvolvemos o hábito alimentar nos primeiros anos de vida e a criança seguirá o que se consome na família. Tudo que for estimulado nessa fase é bem aceito porque os pais são exemplos para ela”, diz a nutricionista Cristiane Mara Cedra.

Pai ajudando o filho a preparar uma salada - Foto: wavebreakmedia /ShutterStock

Já para o pediatra e nutrólogo Mauro Fisberg, da Universidade Federal de São Paulo, “o melhor é que a meninada aprenda desde muito cedo a comer direito. É importante deixar que elas experimentem uma grande variedade de frutas, legumes e hortaliças. Além de combater a obesidade, o que já é um grande feito, a alimentação equilibrada é fundamental para o desenvolvimento infantil”.

Cristiane revela que para mudar o hábito alimentar dos filhos é necessário primeiro mudar os pais. “Os pais têm que, antes de mais nada, mudar seu habito alimentar. Não adianta cobrar do filho se ele faz o oposto. Como exemplo, temos o refrigerante. Os adultos limitam o consumo de refrigerante, mas se a criança ver o produto aberto na geladeira ou mesmo os pais consumindo fora do momento, elas vão questionar o por quê eles também não podem”.

Incentivar o consumo de novos alimentos é muito importante para que a criança não perca o gosto por coisas diferenciadas. “Do momento que passa do desmame e começa a receber a alimentação da família, as crianças já vão se acostumando com o sabor do tempero e com as opções servidas. O novo costuma ser rejeitado e o que é consumido com mais freqüência é mais aceito, por isso vale insistir em novos alimentos”, indica a nutricionista.

Segundo a especialista, as orientações para uma alimentação saudável são alimentar-se de forma fracionada a cada 3 horas, consumir frituras no máximo uma vez durante a semana, evitar embutidos, doces, frios e produtos industrializados. Deve-se ainda comer de três a cinco porções de frutas fracionadas no dia, três a quatro pires de vegetais coloridos por dia, carnes magras e dar preferência aos carboidratos integrais como pão integral, aveia e granola.

publicidade
publicidade