Pesquisar

O perigoso contato da criança com a ração animal

publicidade

Imagine essa cena. Uma criança engatinhando até o prato de ração do cachorrinho de estimação da família que fica na área de serviço ao lado da cozinha onde todos almoçam. Sem ser notado, o espertinho bebê pega um punhado da ração, coloca na boca e come enquanto o animalzinho abana o rabo olhando a atitude do seu companheiro.

Uma situação aparentemente fofa e engraçada para uma foto, não?! Não é bem assim.

Há alguns micro-organismos que são inofensivos para os animais de estimação e que para nós humanos podem provocar enjoo, vômito, febre e diarreia. A salmonela é um exemplo disso.

A revista Pediatrics, jornal oficial da academia americana de pediatria, publicou um artigo em agosto de 2010 relatando que rações de cães e gatos são alvos da salmonela. O contato pode fazer mal à saúde das crianças, principalmente as menores de dois anos, muito mais vulneráveis a doenças e infecções.

Um animal que comeu a ração com salmonela pode fazer cocô contaminado até doze semanas depois do contágio, mesmo sem apresentar qualquer sintoma.

O artigo revelou que os casos de salmonela em crianças menores de dois anos foram maiores nas casas em que os animais eram alimentados no mesmo ambiente onde os alimentos são preparados e consumidos, na cozinha.

O motivo é o maior contato que as crianças têm com o ambiente contaminado como a ração, tigela de alimentação do animal e o chão onde o animal faz suas necessidades.

Esse estudo foi realizado depois que 79 pessoas, quase a metade crianças menores de dois anos, foram contaminadas pela salmonela entre os anos de 2006 e 2008.

“Este surto suscitou preocupações para o quanto as rações secas para animais de estimações podem ser uma fonte não reconhecida de doenças, principalmente para as crianças” disse a veterinária e epidemiologista do Centro Federal de Controle de Doenças e Prevenção Casey Barton Behravesh.

Para a prevenção de doenças, principalmente em casas que convivem crianças e animais de estimação, alguns hábitos são essenciais como lavar as mãos após o contato com os animais, suas tigelas e rações, limpar e desinfetar com frequência a área e a tigela de alimentação dos bichinhos (a tigela deve ser limpa em local diferente da pia da cozinha) e evitar que as crianças brinquem nas áreas de alimentação e com a ração dos seus companheiros.

publicidade
publicidade