Modelos confortáveis

Vestidos floridos com babado, camisas sociais para bebês, mocassins em miniaturas. As lojas infantis estão cada vez mais recheadas de peças que são uma fofura. Mas será que esse tipo de roupa é adequado para a criançada?

A resposta é simples: criança precisa de conforto acima de tudo. É claro que cada ocasião exige um tipo de roupa diferente. O modelito para ir a festa não é o mesmo que ele usaria para brincar na casa de um amiguinho. Mas seja qual for a roupa escolhida, a criança precisa se sentir bem com ela.

“O incomodo nas roupas infantis é uma questão de toque”, diz Yves Pancotti, do departamento de marketing de uma marca de roupas infantis. “Inclusive usamos forro nos bordados e etiquetas internas macias, pois o conforto de nossos pequenos clientes é nossa prioridade”.

Portanto, na hora de vestir a criança, é preciso analisar a praticidade e comodidade da peça. Rendas e babados são mesmo uma graça, mas dependendo do modelo, podem irritar a criança. No geral, as roupas sem muitos adereços são as que oferecem mais conforto.

Se for escolher uma calça jeans ou de brim, certifique-se que o tecido seja fino e maleável para não atrapalhar a mobilidade da criança. Dependendo do modelo, casacos e jaquetinhas também podem atrapalhar o movimento dos braços.

Roupas apertadas devem ser descartadas. Calças justas para crianças não funcionam, a não ser as de tecidos elásticos, estilo calça legging.

Para brincar roupas de malha de algodão em modelos bem simples são perfeitas. Com elas, a criança tem total mobilidade para sentar, levantar, correr, rolar. Deixe as peças mais elaboradas do guarda-roupa para passeios curtos, quando as chances de agirem como “mocinhos” é maior. Para ficar em casa, as roupas mais velhas são imbatíveis.

Paula R. F. Dabus

Depoimento