Pesquisar
atualizado em 16/01/2013 12:30h

Miomas trazem riscos à gravidez

Esse tipo de tumor pode dificultar a gravidez e até mesmo provocar abortos.

publicidade

Um tumor que aparentemente não significa risco à vida da mulher pode ser um empecilho para o tão sonhado desejo de ter um filho. Miomas são tumores benignos no útero, que podem chegar a 20 cm de diâmetro, e que costumam ter como alvos mulheres entre 20 e 45 anos. A verdade é que o mioma está associado à dificuldade reprodutiva, pois pode dificultar o encontro do espermatozoide com o óvulo.

O mioma pode aumentar o risco de parto prematuro, sangramentos, dificuldade no parto e aborto espontâneo logo nos três primeiros meses de gestação.

Sangramento excessivo, prisão de ventre, dificuldade para urina, dor durante a relação sexual podem ser sinais de mioma.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) informa que mais da metade da população feminina no mundo já apresentou casos de miomas. Mas não se desesperem. Muitas mulheres com miomas uterinos acabam tendo gestação sem qualquer problema. E mais: algumas sequer souberam que durante a gravidez apresentaram mioma uterino.

No entanto, em alguns casos, esses tumores benignos interferem sim na gestação. Daí a necessidade da mulher se prevenir e buscar profissionais da saúde.

Dependendo do caso, o tratamento pode ser cirúrgico. Existem algumas intervenções cirúrgicas específicas: a miomectomia (retirada do mioma), histerectomia (retirada do útero) e embolização (cirurgia em que é interrompido o “alimento” do mioma, “matando” o mioma de fome).

O tratamento também pode ser feito por meio de anticoncepcionais orais e liberadores de gonadotrofinas, hormônios que controlam o ciclo natural da mulher.

Por não apresentar grandes dores ou efeitos quando surge, o mioma uterino nem sempre é percebido inicialmente pela mulher, passando a incomodar justamente na gravidez. Por essa razão é interessante a realização de exames preventivos, entre os quais a ultrassonografia pélvica de rotina.

A ginecologista e obstetra Karina Zulli, do Hospital e Maternidade São Luiz, informa que a ultrassonografia pélvica consegue rastrear até 80% dos miomas. “A ausência de sintomas deixa clara a importância de consultar uma ginecologista anualmente. O diagnóstico precoce pode, inclusive, evitar que o ciclo menstrual seja afetado”, explica Karina Zulli. As causas do surgimento do mioma ainda são desconhecidas. O mioma pode crescer, podendo atrapalhar a gravidez.

Em caso de detecção do mioma, a mulher precisa ter respaldo médico para saber quais procedimentos corretos a seguir para impedir que o tumor prejudique a gravidez. Portanto, nunca se esqueça de consultar especialistas antes durante e depois da gravidez.

publicidade
publicidade