Medicamento contra pré-eclâmpsia

SP desenvolve droga inédita contra pressão alta em gestantes

Substância, em fase de testes no Instituto Butantan, está presente no veneno da jararaca

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, por intermédio do Instituto Butantan, na capital, está desenvolvendo um medicamento inédito que atua diretamente no combate à pressão alta na gravidez. Conhecida como pré-eclâmpsia, a doença atinge mulheres a partir da vigésima semana de gestação e pode até matar.

Pesquisadores do Centro de Toxinologia Aplicada do Butantan acabam de encontrar uma substância presente no veneno da jararaca capaz de atuar diretamente nos casos de hipertensão gestacional. Os responsáveis pelo trabalho pesquisam há quatro anos as aplicações medicinais de moléculas sintéticas derivadas do veneno de cobras.

A partir dos estudos foi possível identificar um mecanismo capaz de atuar diretamente nas artérias para manter os vasos sanguíneos relaxados e, com isso, controlar a pressão. Testes realizados com animais, que acabam de ser concluídos, comprovaram a eficácia da nova substância.

“As drogas usadas atualmente no combate à pré-eclâmpsia são desenvolvidas para um hipertenso comum. Agora estamos desenvolvendo um novo medicamento que leva em consideração todas as peculiaridades do organismo de uma mulher grávida”, Juliano Guerreiro, pesquisador do Butantan.

Cerca de 3,2 milhões de mulheres ficam grávidas por ano no Brasil. Segundo o Conselho Brasileiro de Cardiopatia e Gravidez, 10% dessas gestantes apresentam pré-eclâmpsia, que é responsável por cerca de 30% dos óbitos maternos. Ou seja, cerca de 320 mil mulheres por ano seriam usuárias diretas desse medicamento.

Além da pressão arterial alta, a pré-eclâmpsia se caracteriza por retenção de líquidos (edema) e presença de proteína na urina (proteinúria), podendo evoluir para um quadro de convulsão e coma (eclampsia). A pré-eclâmpsia precisa ser diagnosticada e tratada de forma rápida (durante o pré-natal), já que pode restringir de maneira severa o fluxo de sangue para a placenta, prejudicando perigosamente o feto.

O Instituto Butantan fica da avenida Vital Brasil, 1.500 – Butantã, zona oeste da cidade de São Paulo - SP.

 

Esta página foi publicada em: 15/01/2008.

Pesquise aqui
 
 
Depoimento