Leite empedrado não impede amamentação

Uma das maiores dificuldades encontradas pelas mães logo no início da amamentação é quando o leite “empedra”, saiba que esse é um problema temporário.

Uma das maiores dificuldades encontradas pelas mães logo no início da amamentação é quando o leite “empedra”, deixando as mamas duras e causando dores o que dificulta a amamentação. Saiba que esse é um problema temporário, mas que deve ser solucionado para que não ocorra maiores complicações ou até mesmo o desmame precoce.

O ingurgitamento, conhecido como empedramento do leite, é um dos motivos que faz com que a mulher desista da amamentação, já que com ele aparece dor, fissuras no bico, febre local e até generalizada. Além disso tudo, existe a dificuldade de pega do bebê, que o faz chorar, deixando a mamãe nervosa. Com tudo isso, a mamãe acaba por introduzir o leite artificial.

Mamãe amamentando o bebê - GettyImages

O empedramento acontece por um simples motivo: a mulher no início da amamentação produz mais leite do que o bebê precisa. Essa sobra de leite endurece, criando nódulos, prejudicando mamãe e bebê.

“Para conseguir minimizar o problema, o primeiro passo é amamentar em livre demanda, isto é, amamentar a hora que o bebê estiver com fome. Não é de três em três horas nem de duas em duas. É a hora em que o bebê tiver vontade”, explica a fonoaudióloga Jamile Elias.

Outra dica que a especialista em amamentação oferece é a massagem seguida da ordenha manual. Isso mesmo. Retirar o leite das mamas sem uso da bombinha. Primeiro a mamãe deve realizar a massagem em movimentos circulares com as pontas dos dedos indicador e médio sempre do bico para a base procurando os nódulos e mantendo a outra mão como apoio. Depois colocar os dedos indicador e polegar em forma de “C” no final da região areolar (e não no bico) e realizar movimentos rítmicos para a saída do leite.

Massagear e retirar o leite até a mama ficar mais macia e confortável para uma boa pega do bebê (abocanhar a aréola toda), em média 15 minutos.

Nessas horas, muitas teorias e supostas soluções infalíveis aparecem. Não leve a sério tudo que falarem. Por exemplo, o mito de que realizar compressas de água quente nos seios ingurgitados ou tomar banho com água quente. Pode ser que a primeira sensação seja de alívio, mas a água quente estimula a produção do leite. Ou seja, minutos depois as mamas estarão mais cheias do que antes.

Portanto, prefira compressas de água fria e banhos de mornos a frios. Consulte sempre um profissional.