Guia de brinquedos

Internet, jogos, bate-papo. Até onde incentivar?

Crianças em idade pré-escolar que já sabem usar o computador como gente grande são cada vez mais comuns nos dias de hoje. Se os pais gostam e usam bastante o equipamento, é quase que automática a atratividade para a criança, devido a sua curiosidade natural. A natureza interativa do computador torna-o um brinquedo simplesmente irresistível para uma criança. Até mesmo bebês de um ano de idade gostam de pressionar uma tecla e ver o resultado na tela. Mas essa relação com o computador faz bem ou mal à criança?

Equilíbrio parece ser a primeira questão a ser observada e trabalhada junto aos filhos. O mundo no qual os filhos estão inseridos é o mundo das luzes artificiais dos shoppings, do videogame, dos namoros virtuais, das salas de bate-papo e dos sites em que a imaginação parece não ter fim. Por isso mesmo, cabe aos pais, desde cedo, impor limites e regras no uso do computador, em relação ao tempo e à forma de utilização.

Além disso, é preciso entender quais são as atividades que as crianças praticam no computador. Essa máquina é apenas uma ferramenta de acesso à informação e entretenimento. Porém, como tudo em educação infantil e, aliás, em qualquer coisa na vida, excesso sempre faz mal.

No começo, quando uma criança é exposta pela primeira vez a um computador e aprende a usá-lo, a fascinação, a curiosidade e a satisfação trazida pela possibilidade de controlá-lo, promovem uma certa obsessão e uso excessivo, o que é natural. Crianças pequenas não conseguem manter a atenção em uma coisa por muito tempo, logo ficam entediadas e passam a fazer outras coisas. Contudo, estas crianças irão crescer dentro desse meio, podendo assim correr o risco de ter sérios problemas físicos, como de postura, psicológicos e principalmente problemas educacionais.

O aprendizado através do computador não é a melhor forma e nem o melhor meio para trazer resultados positivos à educação, as crianças e adolescentes estão sem parâmetros no uso da rede. Muitas vezes as pessoas se maravilham com a facilidade de acesso à informação, mas se esquecem de que também podem ficar demasiadamente expostas se cuidados não forem tomados.

Se os pais perceberem que a obsessão e a concentração são exageradas, devem apenas tentar desviar gentilmente as atividades da criança para outras coisas. Em crianças maiores, às vezes, isso tem que ser feito forçosamente, através da imposição de outras atividades.

Outra coisa que pode ser feita é tentar utilizar o potencial do computador para o aprendizado de habilidades sensoriais, motoras e cognitivas interessantes, como aprender a ler mais cedo, trabalhar com conceitos abstratos, melhorar a coordenação motora e estimular o interesse precoce, o amor pela leitura e o conhecimento.

Para isso existem muitos softwares e sites na Internet com excelentes recursos, que aliam a diversão ao aprendizado. Mas procure sempre saber qual a fonte que está acessando na Internet, pois ela ainda não é um meio muito confiável! O mais importante é os pais fazerem com que haja condições básicas para que seus filhos busquem usar esse canal de comunicação de forma eficiente e saudável.

Rafaela Rosas

Pesquise aqui
Depoimento