Pesquisar

Hora de Dormir: O Sono - parte 2

O sono em capítulos

publicidade

Agora que já sabemos um pouco sobre o que é o sono, venham comigo conhecer um pouco sobre cada etapa dele. 

Entre uma “dormidinha” ou uma “soneca” e um “ronco”, estamos no que se chama estado de vigília, com tônus muscular adequado, atividade cerebral organizada (ou não, para algumas pessoas... rsrsrs).

Mas nem sempre dormimos assim que deitamos. A vigília pode se manter ainda por 5 a 10 minutos a partir do momento que resolvemos dormir, já na cama, até que possamos “cair nos braços de Morfeu”.

Nota do autor:

Segundo a mitologia grega, Morfeu era um deus filho de Hipnos, o deus do sono. Assim como o seu pai, ele dispunha de grandes asas que o fazia vagar silenciosamente pelos mais distantes lugares do planeta Terra. Ao aproveitar do repouso dos homens, Morfeu assumia formas humanas e ocupava os sonhos de quem quisesse. Desse modo, os gregos acreditavam que uma noite bem dormida e seus vários efeitos positivos só seriam explicados pela presença dessa divindade em seus sonhos.

Foi justamente por meio dessa expressão e da história de Morfeu que um dos mais potentes analgésicos existentes, a morfina, ganhou esse nome. 

Por Rainer Sousa - Mestre em História - Equipe Brasil Escola

Ou podem achar uma explicação mais complexa nesse outro link.

Bebê recém-nascido bocejando - foto: Steven Blandin/ShutterStock

Já sabemos que a noite se passa em 4 a 6 ciclos de 70 a 110 minutos e que cada ciclo se divide em 2 fases: sono não REM e sono REM. 

Sono NREM (não REM)

Podemos dividir essa fase em alguns estágios entre o “pescar” e o “desmaio”.

Estágio 1

Sabe aquela hora em que, durante uma aula ou um filme, você “pesca”? 

Essa fase é o começo do sono, é o adormecimento, que dura de 2 a 8% do sono (de segundos a 5 minutos). É a passagem da vigília para o sono mesmo. 

Há uma redução do tônus muscular, por exemplo, no pescoço, o que faz com que sua cabeça caia para frente ou para trás e você acorda no tranco. Pescou? 

O cérebro está funcionando com ondas irregulares, rápidas. A respiração começa a ficar mais suave. O sono é bem leve e quando alguém é acordado nesse momento vai dizer que não estava dormindo. 

Estágio 2

Essa fase dura 45 a 55% do sono todo (cerca de 20 minutos por ciclo). 

Ocorre uma diminuição do ritmo cardíaco e respiratório, das ondas cerebrais, a musculatura relaxa mais e a temperatura do corpo cai (sono ainda leve), mas a resposta a estímulos externos já é bem reduzida.

Se alguém tentar abrir seus olhos levantando suas pálpebras bem de leve vai conseguir não acordá-lo.

Estágio 3

3 a 8% do sono total. Costuma vir muito junto com o estágio 4, ou seja, o início do sono profundo. As ondas cerebrais são grandes e lentas. Diminuição progressiva do tônus muscular, raros movimentos dos olhos. 

Estágio 4

10 a 15% do sono total. Sono mais profundo, total inconsciência. “Desmaiou”. Aqui começa a real recuperação do cansaço e do trabalho do dia. Grande parte dos hormônios é liberada nessa fase, propiciando um estímulo ao crescimento e à recuperação do nosso organismo. Essa é a fase em que podem aparecer o terror noturno, o sonambulismo e a sonilóquio (falar dormindo),

Sono REM

20 a 25% do sono total.

Aqui ocorre uma contradição. Apesar de ser o grau máximo de hipotonia muscular (moleza mesmo), é nessa fase que a atividade está a mil por hora com aumento da frequência cardíaca, respiratória e da pressão arterial que caíram desde a fase 1 do sono não REM progressivamente até agora. 

Aqui começa a fase dos sonhos (ou pesadelos), representada pelos movimentos oculares rápidos (REM).

As informações importantes que recebemos durante o dia são gravadas no cérebro nessa fase, assim como são “esquecidas” as que não interessam tanto assim.

Gráfico com tempos mínimos e máximos dos estágios do sono - Guia do Bebê

Algumas curiosidades, tipo você sabia?

  • Se alguém é acordado em qualquer fase do sono e consegue voltar a dormir, se retoma da fase 1 do sono não REM. Se estiver bem relaxado, pode chegar muito rapidamente à fase REM, ou seja, voltar a sonhar.
  • Se temos 4 a 6 ciclos de sono por noite, qualquer um de nós pode sonhar de 4 a 6 sonhos por noite. Esses sonhos são fragmentos, partes, da memória do que nos aconteceu durante o dia.
  • De acordo com alguns estudiosos do sono, nós só nos lembramos dos sonhos se somos acordados enquanto estamos sonhando. Assim, quando se estuda o sonho, as pessoas são acordadas durante a fase REM, quando seus olhos estão se movendo rapidamente. 
  • Já segundo alguns outros estudiosos (mais espiritualistas), os sonhos são consequência do desprendimento da alma que fica ligada ao corpo por um fio de energia (fio dourado). Nessa fase (sono REM), ocorre o que muitos conhecem como sonhos lúcidos – quando percebemos que estamos sonhando, com uma recordação muito clara e lúcida sobre o sonho, aparentando termos controle direto de nossas ações e do desenrolar do próprio sonho. Um pesquisador do assunto (Stephen LaBerge) definiu o sonho lúcido como “estarmos sonhando enquanto sabemos que estamos sonhando”.

Na próxima semana, vamos conhecer o que acontece em termos metabólicos, hormonais e como se comportam (ou não) nossos sistemas enquanto deveriam estar dormindo.

publicidade
publicidade