Pesquisar

Escolhendo o pediatra

Como definir o pediatra ideal para o meu filho?

publicidade

A escolha de um pediatra para o seu filho é tão importante quanto a definição da babá. Portanto, fica a pergunta: como escolher o profissional que irá cuidar da sua "preciosidade" desde o nascimento até a adolescência? Uma decisão importante e muito difícil que deve ser tomada mesmo antes do bebê nascer. O pediatra estará na sala de parto para realizar a primeira avaliação.

Segundo a pedagoga Maria Bernadete Colombini, pode-se começar por nomes indicados pelo obstetra e por pediatras recomendados por amigos próximos ou familiares. Selecione alguns nomes e certifique-se de que o profissional é habilitado pela Sociedade Brasileira de Pediatria.

Marque uma entrevista para conhecer o médico, como trabalha e a sua maneira de pensar e assim decidir com qual deles tem mais afinidade e lhe passa mais confiança. Na entrevista, é importante que os pais tirem todas as dúvidas.

Alguns fatores são imprescindíveis para uma escolha correta. Confira as dicas:

  • O pediatra deve ser um profissional atualizado
  • O seguimento do médico deve ser igual ao que você confia (se gostar da homeopatia o seguimento do pediatra deve andar nesse sentido)
  • Aparência do pediatra e do consultório. Ele trata bem seus pacientes? É atencioso e sabe ouvir? O lugar é limpo, conservado e agradável?
  • Como são seus horários. É disponível para qualquer eventualidade? Atende emergências de madrugada e fins de semana?

As consultas de rotina no primeiro ano de vida normalmente são mensais. O pediatra avalia crescimento e desenvolvimento da criança. Esse é um bom momento para a mamãe verificar se o tratamento prestado pelo profissional está agradando ou não aos pais e ao filho.

Os pais devem acompanhar seus filhos em todas as consultas, pois, além dos pequenos se sentirem protegidos e seguros, bom currículo e atualização indicam boa capacidade técnica, mas não asseguram conduta ética do profissional.

Nos casos de adolescentes, não precisam de acompanhamento dos pais na consulta, mas devem existir assistentes na sala atuando com o pediatra. Ter o hábito de conversar sempre antes e depois da consulta é fundamental para esclarecimentos tanto dos adolescentes como dos pais.

Vale lembrar que nem todos pediatras são brincalhões com as crianças. O mais importante é que os pais consigam conversar e esclarecer suas dúvidas com o médico. Mas nada os impede de trocar de pediatra se em qualquer momento a relação de confiança entre pais/criança/médico for quebrada.

O ideal no médico escolhido seria a união da capacidade técnica ao bom relacionamento com os pais e a criança.

Pediatra examinando um bebê - foto: In Green/ShutterStock.com

publicidade
publicidade