Pesquisar

Dicas que valem saúde

Para facilitar a fase da introdução dos alimentos veja algumas dicas simples mas que fazem a diferença

publicidade

ATENÇÃO!
Até o sexto mês de vida o bebê deverá ser alimentado exclusivamente com o leite materno. Ele não precisará de água ou chás. Qualquer mudança nessa regra deverá ser feita com orientação do seu pediatra.

Dicas que valem saúde

Leite de vaca: crianças menores de 1 ano não devem consumir leite de vaca.

Melcrianças menores de 1 ano não devem consumir mel.

Leite Materno na sobremesa: No início, o almoço do bebê deve sempre ser complementado com uma sobremesa especial: o leite materno ou, no caso das crianças que não mamam ao peito uma fruta amassada ou em pedaços pequenos.

Bons hábitos: Os sucos de frutas podem ser oferecidos durante as refeições mas não devem ultrapassar a 50 ml por refeição. O ideal é que sejam oferecido água potável no lugar dos sucos. Frutas devem ser consumidas in natura e não através de sucos, ou seja, a criança deve comer a banana, a maçã, chupar a laranja, etc.

Sopa em dias frios: Por volta do oitavo mês, o jantar já começa a fazer parte da rotina do pequeno. Essa nova refeição deve seguir os mesmos moldes do almoço. Mas, se você preferir, algumas vezes por semana, uma outra alternativa é oferecer uma sopa ou um creme de legumes. Essa sugestão funciona muito bem em dias frios. Mas vale lembrar que a sopa deve ter sempre arroz ou macarrão, um tipo de grão, carne, dois tipos de legumes e dois de verduras de folhas. Procure sempre oferecer os legumes em pedaços pequenos evitando amassá-los ou passar no liquidificador.

Prato de sopinha do bebê - foto: Wiktory/ShutterStock.com

O visual é importante: A criança irá apreciar melhor um prato bem colorido se comparado a uma mistura de vários alimentos. Por isso, a criatividade é muito importante. Você pode, por exemplo, usar aqueles pratinhos com três ou mais divisões e separar os alimentos. Em uma parte o arroz com o feijão, em outra, a carne com a gema do ovo e, na outra, o purê de legumes com verdura. Outra sugestão é criar um desenho divertido com todos os alimentos.

É hora da papinha: Se a criança não aceitar a papa ou a sopa salgada, nunca ofereça a refeição na mamadeira. Os baixinhos são muito espertos e, às vezes, preferem o leite/fórmula à comida, pois, além do gosto já conhecido, é mais fácil de ingerir. Se a mãe oferecer a refeição na mamadeira ou simplesmente deixá-la de lado e partir para o leite/fórmula, será mais difícil para a criança se acostumar com os alimentos salgados e sólidos. Por isso, se ela não quiser comer, o certo é esperar algum tempo e tentar oferecer novamente, até que ela seja vencida pela fome.

Legumes mais doces: Quando as papas salgadas são introduzidas, às vezes, a criança estranha o sabor e se recusa a abrir a boquinha. Você pode usar, então, no começo, legumes mais adocicados, como beterraba, cenoura, chuchu ou batata-doce. Mas nunca coloque açúcar na refeição.

O relógio do bebê: Na medida do possível, deixe que a criança siga seu próprio relógio biológico. Até completar um ano, o melhor é que o almoço seja oferecido por volta das 11:30 e o jantar às 18:00 horas, mas, se o pequeno demonstrar fome às 16:00, por exemplo, permita que jante mais cedo. Ele pode comer uma fruta no horário em que costuma fazer essa refeição.

Dê uma força aos dentinhos: Depois dos oito meses, procure oferecer frutas em pedaços para que a criança possa mastigar.

Gosto não se discute: Apesar de a criança precisar experimentar alimentos de todos os tipos, se você perceber que ela não gosta de alguns, não a force a comer. Mas não se esqueça de que o paladar pode mudar. Assim, as comidas que seu filho detestava quando tinha oito meses, por exemplo, podem passar a ser gostosas depois de algum tempo.

Alteração intestinal: As funções digestivas de algumas crianças costumam passar por alterações quando os alimentos sólidos são introduzidos em sua dieta. É normal que ocorra um ressecamento ou uma leve soltura intestinal. Normalmente, é possível contornar esses problemas com a própria alimentação. Uma dieta rica em alimentos que contém fibras, como verduras de folha escura, faz com que o intestino do bebê fique mais solto. Já batata, mandioquinha e frutas como goiaba e maçã costumam deixá-lo mais preso. No entanto, se a alteração intestinal for muito grande, o melhor é conversar com o pediatra.

O melhor são os grelhados: As frituras são praticamente proibidas até o pequeno completar um ano. Depois dessa fase, de vez em quando, a criança pode comer batatinha frita, bife frito, etc. Mas o melhor é grelhar as carnes.

publicidade
publicidade