Dengue na gestação

A gestante deve ter atenção redobrada em relação a dengue pois em alguns casos seu bebê já pode nascer infectado

Infelizmente, a dengue ainda é um grande problema no Brasil e com o verão chega a ameaça de uma nova epidemia. Se a dengue representa um perigo para a população, para as grávidas a situação é ainda pior. Isso porque nesse período a mulher fica naturalmente com a imunidade mais baixa e as complicações da doença podem ser bastante graves.

O que pode acontecer se a grávida é infectada pela dengue no início ou meio da gravidez?

Se a contração do vírus acontecer no inicio da gravidez há chances de ocorrer um aborto. Quando a contaminação é no meio da gestação, a dengue não é transmitida para o feto nem compromete seu desenvolvimento, mas pode provocar um parto prematuro. Também há chances de complicações para a mãe e os cuidados devem ser redobrados para evitar hemorragias, problemas no fígado e convulsões.

Gestante deitada com termômetro na mão medindo a temperatura corporal - Foto: 3dvin/ShutterStock.com

O que pode acontecer se a gestante contrai dengue no final da gestação?

Se a gestante contrair dengue nos últimos dias da gestação, pode ocorrer a transmissão vertical, quando a doença passa da mãe para o bebê através da placenta. Nesse caso, o recém-nascido nasce com dengue e deve ser tratado.

Por isso, a prevenção da doença durante a gravidez é muito importante. Como não existem vacinas ou medicamentos que combatam a contaminação, a solução é evitar a proliferação do mosquito evitando deixar água parada em locais perto de casa e do trabalho. Também ajuda usar repelentes, mosqueteiros, telas de proteção em portas e janelas e roupas que protejam o corpo, como calça, meia e mangas compridas.

Os sintomas da doença são febre alta acompanhada de dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores musculares, dores nas juntas, prostração e vermelhidão no corpo. Em caso de suspeita de dengue, a gestante deve procurar imediatamente um médico para realizar exames laboratoriais, que confirmam a presença do vírus, e evitar a automedicação.

A princípio o tratamento da gestante é o mesmo usado para qualquer paciente: bastante repouso e ingestão de muito liquido para se hidratar. O médico poderá prescrever algum medicamento antitérmico quando necessário. É importante lembrar que não se pode usar medicamentos a base de ácido acetil salicílico, pois eles podem provocar sangramentos.

ATENÇÃO! Em caso de suspeita de dengue, não fique se perguntando "será que é dengue?", procure um médico imediatamente. E não tome remédios por conta própria. Lembre-se, você está grávida.

boas compras
Comentários
ROSE

Olá mamães! Perguntei a respeito de repelente para a minha médica, ela disse que poderia ser usado o repelente infantil.
Boa sorte à todas!!!

Ellen

Eu tive na 32ª semana de gestação dengue hemorrágica. Tive dificuldade de na detecção da doença, pois, os três primeiros dias diziam que era virose (plaquetas 240.000 / 205.000 / 150.000) . No 4º dia quando já estava com 99.000 de plaqueta que começaram a achar que era dengue,mas, me mandaram para casa novamente. No final do dia comecei a escarrar sangue e resolvi voltar ao hospital quando as plaquetas já estavam em 53.000 (em menos de 24 horas). Internei, no dia seguinte 24.000 plaquetas, e no dia seguinte 12.000. Fui transferida para o CTI, minhas plaquetas chegaram a 6.000. Tive inúmera complicações, meus rins paralisaram, tive uma pressão arterial de 220x180, pleurite, miocardite, tudo consequência da dengue, foi quando resolveram interromper a minha gravidez. Mas, para contrariar toda a ciência minha filha nasceu prematura e super saudável e eu a contrário das expectativas de toda equipe médica não fui à óbito. Minha filha ficou 25 dias internada para ganhar peso na UTI NEONATAL, e hoje está com 2 anos e 8 meses, extremamente saudável.

Andréia

Olá meninas, gostaria de deixar meu relato. Tive dengue quando estava com 12 semanas de gestação.A princípio foi só o tratamento de praxe. Mas por consequência, minha imunidade ficou muito baixa, acabava de tratar uma infecção e pegava outra. E assim foi ate o final da gravidez. Até que tive uma forte infecção que não deu tempo de tratar e através da placenta, passou para a Laura. E assim ela nasceu com infecção também. Teve dificuldades respiratórias ao nascer, ficou na incubadora, tomando oxigênio e internada por 7 dias tomando antibiótico. Ainda que o médico adiantou o parto, quando percebeu que estávamos correndo o risco de perde-la. Hoje ela esta com 1 ano e 2 meses, e graças a Deus, o tratamento foi um sucesso e ela tem um desenvolvimento perfeito. Mas fica o alerta: A dengue é muito perigosa e principalmente em gestantes, deve ser tratada com muita atenção.

Liny

Olá mamães... Nós gestantes não podemos usar qualquer repelente não...
Segue aí uma receitinha fácil para nos proteger...

Ingredientes:
15 cravos da índia
200ml de álcool de cereais (compra em farmácias)
300ml de óleo johnson
Mode de preparo:
Deixe o cravo descansar no álcool de cereais por 2 dias. Acrescente o óleo Johnson, agite bem e passe no corpo.

Beijos!

Liviaresende

Será que podemos usar todos os tipos de repelente ?

Anniefmartins

Oi pessoal, estou de 7 semanas e contraí a dengue, estou apavorada e com muito medo de perder o meu bebê. Moro em São José do Rio Preto, aqui a situação está crítica. Meu medo é de pegar futuramente, mas com a graça de Deus vamos passar por tudo bem.

Dani

Alguém sabe se há restrição ao uso de repelente durante a gravidez?

Edmara

to com muito medo de pegar dengue , pois em minha cidade tem um surto de dengue , e perto de minha casa varias pessoas tiveram , faço minha parte mas se o vizinho não fizer corro risco e pedir a deus proteção...

clique abaixo para ver + comentários
boas compras
Mundo Encantado do Bebê