Pesquisar
atualizado em 15/04/2015 4:32h

Como conciliar emprego e amamentação

Não é fácil mas é possível. Principalmente se houver ajuda da família e dos colegas de trabalho e da direção da empresa onde trabalha.

publicidade

Mamãe moderna é sinônimo de trabalho triplicado. Não bastasse a necessidade de cuidar do novo pequeno da família, a mulher precisa dar prosseguimento à vida de trabalhadora e ainda por cima se manter em dia com a vaidade. Quanta coisa junta!

A tarefa de conciliar a amamentação e as obrigações fora de casa faz com que muitas mães peçam ajuda divina. Calma, mulher. Com organização, planejamento e dedicação é possível dar conta de todos esses afazeres.

Primeiramente, um mês antes de voltar ao trabalho estabeleça rotinas para amamentar, acostumando o bebê a receber o leite em determinados horários.

Elabore cronograma de forma que você consiga dar de mamar antes de sair para o trabalho e logo após retornar à residência. Conseguindo isso, você já avançou uma etapa.

Mamãe amamentando o bebê enquanto trabalha - Foto: didon/ShutterStock

Outra fase importante é estocar o leite materno para que o uso seja feito no período em que você estiver no trabalho.

Vá acostumando aos poucos o bebê a receber o leite materno na colher, no copo ou xícara. Dessa forma o pequeno não sentirá tanta dificuldade em ter o leite no momento em que a mãe estiver ausente. Evite que a pessoa dê o leite na mamadeira.

Lembrando que o leite materno tem validade de um dia caso armazenado na geladeira. Após esse período, jogue fora. No freezer, o leite materno pode ser guardado por até 15 dias.

O leite materno não pode ser aquecido no microondas ou banho-maria, mas sim em água quente (ou seja, aqueça a água em uma panela, não ferva, retire a panela do fogo e então coloque o recipiente com leite como se fosse um banho maria, a ideia é transferir o calor da água para o leite de forma suave). Após aquecido o leite, verifique a temperatura para não causar queimaduras no bebê.

Os direitos da mulher trabalhadora na amamentação

Além de organização e planejamento na amamentação, a mãe deve conhecer o que diz a legislação.

A lei permite que a mãe se licencie do serviço por até seis meses (depende da empresa em que trabalha), tendo seu salário recebido integralmente. Mas ela também tem outros direitos. Saiba:

- A mãe tem direito a dois descansos de 30 min no serviço para amamentar o bebê. Esse horário pode ser unificado, ou seja, a trabalhadora poderá negociar com a empresa e ao invés de dois descansos de 30 minutos ela pode ou chegar 1 hora mais tarde ou sair 1 hora mais cedo, por exemplo. Esse é um tempo extra, não pode ser confundido com o tempo natural para alimentação (horário de almoço, intervalos para descansos, etc.).

- A lei determina que empresa com mais de 30 mulheres com carteira assinada precisa ter berçário ou creche. Caso não tenha, a mulher tem direito a deixar o serviço para amamentar o bebê. E mais: a empresa fica responsável pelo “reembolso-creche”.

ATENÇÃO!
Se você acha que não está tendo seus direitos cumpridos, procure o departamento de recursos humanos ou a direção de sua empresa. Caso a dúvida persista, procure o seu sindicato, eles possuem departamento jurídico gratuito para esclarecer as dúvidas e lhe ajudar a ter seus direitos garantidos.

Dicas

  • Não deixe o recipiente com o leite materno na porta da geladeira (pois o abre e fecha altera a temperatura). Coloque o recipiente no fundo da geladeira. O leite materno na geladeira tem validade de 1 dia (24 horas). Após isso, jogue fora.
  • Você pode utilizar vidros de café solúvel para armazenar o leite na geladeira. Para utilizá-los, retire o alumínio ou papel que protege a tampa, lave com escova e sabão e ferva por 10 min.
  • Faça a ordenha durante o horário de trabalho. Além de evitar o desconforto de ficar com as mamas cheias, garante a oferta de leite materno para o bebê. Mas garanta que o leite coletado vá para a geladeira ou freezer.
  • Clique aqui e leia mais sobre Como estocar leite materno
publicidade
publicidade