Pesquisar

Como adaptar o corpo ao fim do horário de verão?

Atrasar o relógio em uma hora no próximo fim de semana pode causar alterações na qualidade do sono e no funcionamento natural do organismo

publicidade
Com o fim do horário de verão no próximo fim de semana, à meia noite de domingo (19), os relógios deverão ser atrasados uma hora. Brasileiros residentes das regiões sul, sudeste e centro-oeste, regiões em que vigora o horário de verão, sentem os reflexos da mudança nos hábitos cotidianos. Segundo especialistas, esta alteração no relógio afeta diretamente a qualidade do sono e o funcionamento natural do organismo.

"Sabe-se que o organismo sofre mais quando adiantamos uma hora do que quando atrasamos uma hora, pois estamos propensos a permanecer mais tempo acordados à noite do que acordar mais cedo, porém isso não é uma regra", atesta o médico clínico geral Sergio Pontes, da Aliança Instituto de Oncologia.

como adaptar o corpo ao fim do horário de verão - Foto: Pexels / pixabay.com

Para evitar a perda de sono e a dificuldade de deitar no horário normal após esta mudança, é importante seguir algumas dicas. Algumas pessoas sentem muito pouco essas alterações de horário. Geralmente as mais sensíveis são os idosos e as mulheres por características individuais. De acordo com o especialista, não existe uma definição ideal para um bom sono, mas existem hábitos que podem facilitar essa adaptação.

  • Dias antes da mudança tente dormir 10 minutos mais cedo, gradativamente, para que o organismo não sinta a alteração abrupta de 1 hora;
  • Evite a desidratação, pois a água também ajuda na disponibilidade de energia e evita o cansaço;
  • No período da noite, evite atividades exageradas à noite, como exercícios intensos e leitura longa;
  • Atividades físicas leves como caminhada e alongamento podem ajudar com um efeito relaxante;
  • Próximo à hora de dormir, evite ingerir alimentos pesados e com estimulantes como: café, chocolate, chá preto e chá verde;
  • Na hora de deitar, deixe o ambiente no quarto bem escuro, silencioso, com boa temperatura e confortável;
  • Evite assistir TV ou usar celular e computador no quarto de dormir;
  • Além das alterações consideradas normais, caso surjam outros sinais e sintomas como ronco, insônia, apneia e sonolência excessiva diurna, além de hipertensão e arritmia, é importante procurar um médico do sono para uma avaliação adequada.
publicidade
publicidade