Cachorro bonzinho também morde

Crianças correm mais riscos

Dados da Academia Americana de Pediatria revelam que, a cada ano, 4,7 milhões de pessoas são mordidas por cachorros. Em mais da metade dos casos, as vítimas têm menos de 14 anos, sendo que cerca de 150 mil episódios são tão sérios que requerem atendimento imediato.

No Brasil, cerca de 150 mil pessoas ao ano são mordidas pelos ‘caninos afiados’, sendo que em 77% dos casos o rosto é atingido. “Assim como se ensina as crianças a tomar precauções quando andam de bicicleta ou patins, deve-se preveni-las sobre os riscos de brincar inadvertidamente com o rosto sempre muito perto dos animais, ainda que sejam de estimação. Um simples vacilo e se ganha uma cicatriz para sempre”, diz o cirurgião plástico Rodrigo Novaes, do Hospital Santa Paula.

O especialista alerta para a importância de se entender que os cães reagem ao medo, à dor e, muitas vezes, também não tem a exata noção de seu tamanho ou força, podendo machucar uma pessoa enquanto brinca. “Quem costuma ficar assustado na presença de um cachorro precisa tomar algumas medidas, como fazer o possível para ficar calmo e evitar o contato com os olhos do animal. Dar as costas ao cão e sair correndo pode resultar em um acidente”.

Novaes afirma que boca, nariz e bochecha são os alvos preferidos pelos cães na hora do ataque. “Quando um cão morde uma pessoa no rosto, principalmente uma criança, como a pele é mais fina e vascularizada, acaba provocando sérias deformidades, inclusive uma cicatriz bastante visível”.

Assim que alguém é mordido, precisa ser protegido contra infecções, como o tétano. “Além disso, o tecido dilacerado deverá ser retirado e reconstruído via cirurgia. As cicatrizes são inevitáveis e podem necessitar de novas intervenções até ficarem quase imperceptíveis.”

O cirurgião plástico insiste que a prevenção contra esse tipo de acidente ainda é o melhor procedimento. Veja a regra dos “10 NÃOS”:

  • NÃO aproxime seu rosto ao focinho de qualquer cachorro
  • NÃO permita que o cão circule livremente na presença de estranhos
  • NÃO se aproxime de um cão estranho
  • NÃO leve seu cachorro para passear sem coleira
  • NÃO provoque um cão em hipótese alguma
  • NÃO perturbe um cão que está dormindo, comendo ou brincando
  • NÃO deixe uma criança pequena sozinha com um cão
  • NÃO deixe de vacinar seu cão anualmente
  • NÃO deixe seu cão com estranhos
  • NÃO ignore avisos de que um cão é bravo e representa perigo

 

Pesquise aqui
Depoimento