Pesquisar

Avós são tudo de bom

Quem pode crescer desfrutando da companhia dos avós, sabe o quanto é "tudo de bom", como se diz

publicidade

Por não terem mais a função de criar e educar, os netos são a alegria dos avós e vice-versa. Muitos dizem que os avós estragam as crianças. Não é verdade. Muito cedo elas percebem a diferença entre a lei em casa e na casa dos avós. Também sabem que eles têm limites, pois será evitado tudo que oferecer perigo ou mesmo desrespeito.

Aos avós é permitido mimar os netinhos, driblando os horários rígidos de dormir e brincar, algumas vezes deixar comer entre as refeições, assistir televisão fora de hora e por aí vai.

Ou seja, tudo que não puderam fazer com seus filhos por não ser essa a função dos pais, permitem aos netos com o maior prazer e sem culpa.

Apesar de os avós formarem uma indiscutível parceria de sucesso com os netinhos, não podem se esquecer de que são também sogros. E isto significa não proporcionar desavenças familiares.

Convém, desta forma, negociar com os pais da criança o que podem, de vez em quando, extrapolar e o que não podem, de maneira alguma, permitir e, obviamente, têm que acatar com todo respeito e consideração.

Não podem perder de vista que a função de educar pertence aos pais e estes também têm que se lembrar disto, pois muitos esperam que os avós assumam certas responsabilidades, que não lhes pertence mais.

Quando a criança pedir algo e os avós não souberem se irá desagradar os pais, devem dizer ao netinho que irão consultá-los antes de tomar a decisão e o que for acordado entre os adultos, todos deverão respeitar.

Jogo aberto, pois assim as crianças compreenderão que certas decisões não cabem aos avós tomarem e que estes também têm limites a cumprir.

Os netos constituem-se na primeira geração nascida que independe da participação dos avós, ou seja, com ou sem eles, as gerações futuras se sucederão.

É emocionalmente significativo este processo, pois como os avós não mais possuem a função de transmitir seus genes para os próximos descendentes, são influenciados na maneira de interagir com as crianças. Sentem-se mais livres para desfrutar os netos.

Como os casais estão adiando a decisão de ter filhos, os avós têm mais idade e energia física mais debilitada. Por este motivo, os jovens pais creem que os conselhos que lhes dão, estão obsoletos e nem sempre o modo como foram educados e criados é o mesmo que desejam para seus próprios filhos.

Por serem todos adultos, pais e avós devem ter uma relação de cumplicidade e compreensão, tendo em conta que aos primeiros cabe a função de educar os filhos e, aos avós, de poderem colaborar e não de tomar decisões, mesmo que participem das despesas da família.

Seus conselhos serão bem-vindos quando solicitados, porém sem garantia de que serão seguidos, sem constrangimento de ambas as partes.

Os avós são figuras das mais importantes no grupo familiar e geralmente são eles que transmitem às crianças, com toda ternura e paciência, histórias interessantes e quase sempre divertidas dos vários membros.

É uma forma exemplar de as crianças aprenderem a noção de continuidade e evolução, saber como sua família se originou e se formou até então, bem como, compreenderem o processo de envelhecimento a que estão submetidas todas as gerações.

Avós, pais e filhos - foto: Monkey Business Images/ShutterStock.com

publicidade
publicidade