A importância das atividades extracurriculares para os pequenos

Na fase que antecede o ensino fundamental, vale a pena inserir a criança em novas atividades. Confira o que deve ser feito para que o filhote brinque e aprenda.

Fazer atividade física, aprender um novo idioma, interagir com novos programas no computador, entre outras atividades, estão cada vez mais presentes no dia a dia dos pequenos. Os cursos “extracurriculares”, também ministrados na escola fora do horário das aulas, são importantes para o desenvolvimento das crianças.

Segundo a Dra. Débora dos Santos, psicóloga e especialista em Saúde Mental, a participação da garotada em novas possibilidades de aprendizado, contribui para aperfeiçoar a capacidade de armazenamento das novas informações.

“Nessa faixa etária, a criança ainda permanece no estágio onde não consegue se colocar no lugar do outro. Porém, receber muitas responsabilidades nesta etapa, ajuda a estabelecer esta relação. É um ótimo período para diversificar suas atividades”, diz. “Quanto mais interessada em aprender, maior é a segurança pessoal. A maturidade da criança melhora sua adaptação ao ambiente em que vive”, completa.

Menina treinando Karatê - Foto: Lucian Coman / ShutterStock

O primeiro passo para matricular o seu filhote em uma atividade, é perceber qual é a área em que demonstra maior interesse. Os cursos esportivos são excelentes para o desenvolvimento corporal, disciplinar e emocional, onde a criança irá valorizar a autoestima e controlar o seu peso, uma das grandes preocupações dos pediatras.

Os cursos de língua estrangeira também são adequados para a criançada. Eles auxiliam no reconhecimento das diferenças. Para os pequenos que adoram interagir com novos ritmos, os cursos de dança contribuem para o equilíbrio da postura corporal. Já para a criança que se diverte com música, as aulas de instrumentos musicais ajudam no ritmo e despertam a atenção para fixar o aprendizado escolar.

É importante lembrar que o excesso é prejudicial. A Dra. Débora alerta que a mamãe jamais deve exceder na imposição das atividades, e sim, ficar atenta quando estiver ultrapassando os limites para não gerar desconforto no filhote.  Quando isso ocorre, mesmo que involuntariamente, é importante que os próprios professores, quando perceberem o desgaste do aluno, transmitam as orientações para a mãe, mostrando-lhe o melhor caminho.

Se a criança não consegue acompanhar as atividades, é importante ficar atenta para a forma como ela demonstra o problema.  Ele pode vir de diferentes maneiras, e nem sempre é dito pelo pequeno. É fundamental estar atenta ao desempenho dentro e fora da escola, fiscalizando não apenas o boletim, mas a atuação como um todo. O excesso de compromissos e horários são os principais fatores que prejudicam no desempenho da criança.

E agora, quando a criança já passou por diversas atividades e desistiu facilmente de todas elas? A Dra. Débora afirma que é algo muito comum entre as crianças não querer continuar atuando em uma área onde não é reconhecida, por achar que não se saiu bem, ou até mesmo, acreditar não ter tido destaque em relação aos outros. Neste caso, é necessário mostrar para o pequeno quais são as transformações positivas percebidas até o momento e como elas podem aumentar de acordo com a sua persistência e esforço. “É preciso evidenciar o potencial da criança para que ela não desista facilmente”, diz. 

Não importa se o curso é esportivo ou cultural. Para garantir a disciplina do filhote, é necessário estabelecer uma parceria entre a escola e família. “Disciplina não é rotina, ainda que esta deva fazer parte da vida da criança. Respeitar a si mesmo e aos outros, é fundamental”, pontua.

Mamãe, cada criança possui o seu tempo. Não se esqueça que brincar é uma atividade riquíssima na aprendizagem. Tudo o que for realizado com criatividade, ressaltando o lúdico, só irá contribuir para que o seu pequeno descubra o seu potencial. Portanto, curta esta fase gostosa com o seu filhote e seja a primeira a torcer pelo seu sucesso. 

Marcelo Bragança

Comentários

Arline

minha filha tem 5 anos e esta muito teimosa, gostaria de sabe o que devo fazer... desde já obrigada!

Lili

Ei marcinhaareas
Coloquei o Lucas, meu filho de 05 no judô por motivos de disciplina e ele está adorando e dando resultados. O jiu-jitsu é um esporte ainda um pouco perigosa pois a luta é bastante corporal e o judo o contato existe mas não é itenso além de ensinar a cair.
Abraços

Carol Lee

Ola tenho duvida tbem estas atividades seriam ideais a partir de quantos anos?

Meu filho tem 2 anos, ja posso colocar em alguma atividade extra curricular ou eh soh deixar ele brincar no parquinho?

sds,

Marcinhaareas

tenho uma duvida ,meu filho tem 5 anos ...tem tido problems de comportamento tanto na escola quanto em casa mesmo ,ja estou levando em psicologo etal ela me recomendou uma esporte como luta ,mas estou em duvida em qual colocar de e melhor judo ou jiu-jitsu ...vcs podem me ajudar ????

Guia do Bebê

As duas modalidades são semelhantes, por isso ambas se adequam. Mas assim como você avaliou a escola em que seu filho está matriculado, também é necessário avaliar a academia. Veja se é possível asistir aulas antes de matriculá-lo ou acompanhar as primeiras aulas.

Pesquise aqui
 
Depoimento